quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Mudança do Primeiro Ponto Básico de Fé e Doutrina no Estatuto e no Hinário Número 5


A Santa Paz de Deus

De início, procurarei abordar de maneira simples e clara a mudança do nosso primeiro ponto básico de fé e doutrina, agora, presente no novo Hinário número 5, tendo em seu conteúdo algo mais abrangente, teologicamente ortodoxo: 

“1 – Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-la como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d’Ela diminuir. É, também, o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. (II Pedro, 1:21; II Timóteo, 3:16,17; Romanos, 1:16)

Irmãos, este primeiro ponto de doutrina é tripartida ou delimitada por três períodos fraseológicos, cada uma delas - definidas por uma frase completa e finalizadas com um “ponto final” (.) que, gramaticalmente, indica o final de um período, uma pausa absoluta para cada uma delas.

Portanto, sobre a Bíblia, há três frases afirmativas, cada afirmação é finalizada pelo ponto final:

1. Contém a Palavra de Deus;
2. Afirma-se que é "Palavra de Deus", e que nada se pode acrescentar ou diminuir;
3. Poder de Deus para salvar.

Portanto, cada frase indica um período afirmativo da nossa fé referente a Bíblia, segue adiante uma explicação plausível à devida mudança deste pormenor doutrinário. Esta explicação delimita o primeiro ponto doutrinário em três períodos fraseológicos, portanto, será examinado um por um.

MENSAGEM DO REGISTRO X REGISTRO DA MENSAGEM
                                                                                 
Explicando os dois extremos teológicos:

*MENSAGEM DO REGISTRO - Se refere à fonte ou origem da mensagem, a procedência do que é dito, se por Deus (por anjos ou homens da parte d’Ele), por homens ímpios ou pelo Diabo. Assim, aceitamos da Bíblia a MENSAGEM DO REGISTRO como inspirada por Deus apenas as que tiveram origem ou procedência em Deus, isto é, se o que está sendo falado provém da parte de Deus:

No estudo da Bíblia é preciso observar quem está falando através do registro sagrado.” (Gilberto, Antônio. Manual da Escola Dominical – Pela Excelência do Ensino da Palavra de Deus – Edição Atualizada, 14ª Edição/1995, pág. 53, Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD) – Rio de Janeiro, RJ, Brasil).

A Bíblia registra mensagens de:

1. Deus;
2. Homem;
3. Diabo.

Com efeito:

O Diabo. A Bíblia registra palavras e mensagens dele. Nos casos 2 e 3 acima, a inspiração divina consiste do registro da mensagem e não da mensagem do registro!” (Gilberto, Antônio. Manual da Escola Dominical – Pela Excelência do Ensino da Palavra de Deus – Edição Atualizada, 14ª Edição/1995, pág. 53, Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD) – Rio de Janeiro, RJ, Brasil).

Como se pode conferir, a parte inicial da nossa doutrina também é atestada como autêntica por outros grupos de cristãos. Assim, queridos irmãos, este ponto inicial presente no Estatuto da CCB, e, agora, presente no novo Hinário, diz respeito apenas do caso 1 por CONTER a inspirada Palavra de Deus, somente é inspirada a MENSAGEM DO REGISTRO que teve procedência ou origem em Deus:

1º Período fraseológico - “Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-la como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo.” (primeiro período de doutrina = Mensagem do registro).

Neste primeiro período fraseológico, por “CONTENDO” se entende no sentido de conter ou incluir mensagens inspiradas apenas originadas em Deus (mensagem do registro).


O Dr. Aníbal Pereira Reis, autor de vários livros apologéticos, tenazmente combate a teologia Católica Romana, sendo reconhecido até mesmo pelo “O Jornal Batista” (27/09/1970) como um dos mais “extraordinários pregadores já conhecidos”, e isto, entre os batistas. Na época em que manejava as Escrituras Sagradas como sendo a Palavra de Deus, no final – EPILOGO - de um dos livros de sua lavra, afirmou que seu estudo apologético o levava a uma irretorquível conclusão:

A Bíblia toda e somente a Bíblia é a Revelação de Deus! Em matéria religiosa a Sagrada Escritura basta. É de seu próprio teor ser suficiente. <<Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu vos mando >> (Dt. 4:2). <<... nada lhe acrescentarás nem diminuirás>> (Dt. 12:32), exortava Moisés.  Todo este estudo agora encerrado nos leva a esta irretorquível conclusão: unicamente a Bíblia é e contém a Palavra de Deus e Sua Revelação total para esta Dispensação.” (Pereira Reis, Aníbal. O Vaticano e a Bíblia, pág. 121, Edições Caminho de Damasco, 1969, São Paulo - Brasil). – O negrito é meu.

Se não fosse a questão da data em que tal livro foi escrito, eu diria que ele havia retirado tal doutrina do primeiro artigo de fé da CCB, e parafraseado em seu livro.

“1 – Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-la como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d’Ela diminuir. É, também, o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. (II Pedro, 1:21; II Timóteo, 3:16,17; Romanos, 1:16).

Como se pode ver, depois de o mesmo escritor ter afirmado em 1969 que a “Bíblia é e contém a Palavra de Deus”, ano seguinte é aclamado pelo já citado jornal como alguém que... “precisa ser mais usado por nossas igrejas”.

*REGISTRO DA MENSAGEM – Este outro extremo teológico, diz respeito ao registro de tudo o que se encontra na Bíblia Sagrada - de Gênesis a Apocalipse – quer seja histórico, poético ou profético, são inspiradas por Deus em sua forma plenária e verbal. Nós cremos que a Ela nada se deve acrescentar ou d’Ela diminuir, por ser a Bíblia a Inspirada Palavra de Deus todos os seus registros devem ser mantidos e aceitos pelos crentes como – incondicionalmente - dignas de todo crédito; Deus manteve intacta a Sua Palavra de geração a geração, sendo Deus mesmo fiel Testemunha de tudo, por ver, ouvir e presenciar toda a história da humanidade, Ele inspirou os Seus servos a registrar todos os acontecimentos do passado, presente e futuro. Assim, cremos que tudo o que há registrado na Bíblia é de inspiração Divina. Por registro da mensagem, cremos que a Bíblia é a Palavra de Deus, sendo que a Ela nada se pode acrescentar ou d’Ela diminuir asseguramos – de forma incondicional – ser Ela a Palavra de Deus, portanto, Inspirada.

2º Período fraseológico - “A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d’Ela diminuir.” (Segundo período fraseológico de doutrina = Registro da Mensagem).

É salutar explicar - acerca da Bíblia - que em nosso Hinário de número 4, a letra do hino 162 “É a Bíblia a Palavra,” diz em seu primeiro verso

“É a Bíblia a Palavra que ilumina nossos pés” (...). – Ênfase minha.

Assim, confirmando a Bíblia como sendo a “Palavra de Deus que ilumina nossos pés,” agora,  em nosso novo Hinário número 5, corresponde ao Hino 178 “A Palavra Preciosa,” a letra anterior foi mudada para:
“A Palavra da verdade, de Deus Pai, o Criador” (...). – Ênfase minha.

Portanto, no novo Hinário de número 5, a “Palavra da verdade, de Deus Pai, o Criador” aponta para “Bíblia” do Hinário número 4. Ao mudar a letra do Hinário 4, nossos irmãos apenas trocaram seis por meia-dúzia, afirmando ser a “Bíblia" (livro nº 4) a "Palavra da verdade, de Deus Pai, o Criador” (livro nº 5), portanto, como REGISTRO DA MENSAGEM a Bíblia é a inspirada Palavra de Deus.

3º Período fraseológico – “É, também, o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê.” (Terceiro período fraseológico de doutrina = Registro da Mensagem).

Finalmente, a Bíblia registrou a queda do homem, a expansão do pecado no mundo e o destino de todos os impenitentes, que é o lago de fogo, a segunda morte. Pelas constantes advertências de Deus presentes nas Escrituras Sagradas, a Bíblia também registrou a vinda do Salvador de todos os homens, trazendo a mensagem de salvação para todo aquele que nEle crê e obedece. Portanto, cremos que toda a Bíblia Sagrada “é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça”.

Nosso primeiro ponto Básico de Fé e doutrina está biblicamente amparado, confirmando que “toda a Bíblia é divinamente inspirada,” tendo como referencial, II Timóteo 3:16,17, onde afirmamos nossa crença doutrinária:

Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeitamente instruído para toda a boa obra.
Anteriormente, nossa doutrina enfatizava apenas o REGISTRO DA MENSAGEM, com a mudança passamos, também, a enfatizar a MENSAGEM DO REGISTRO.
Portanto, passamos a apresentar os dois extremos teológicos.

Não poderia deixar de mencionar – seria até mesmo injusto ocultar - que eu mantive diálogo com um irmão ancião, o mesmo colaborou comigo dando algumas explicações que foram incluídas - com autorização dele - neste artigo exegético.

 
                                                        RESUMO

 1 – Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-la como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d’Ela diminuir. É, também, o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. (II Pedro, 1:21; II Timóteo, 3:16,17; Romanos, 1:16).

Nosso primeiro ponto básico de fé e doutrina inicia-se com “nós cremos”, sendo que esta crença possui sua referência doutrinária amparada em II Pedro, 1:21; II Timóteo, 3:16-17; Romanos, 1:16. Portanto, nossa crença doutrinária não nega a inspiração de toda a Palavra de Deus, pelo contrário, reafirmamos, pois é esta base doutrinária (referência) que afirmamos em que cremos :

II Pedro, 1:21: Nós cremos...Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo”.

 II Timóteo 3:16-17:  Nós cremos... “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.”

Romanos, 1:16: Nós cremos... Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego”.

Estas são as três bases da nossa doutrina, a inspiração de toda a Escritura. Portanto, a mudança ocorrida no primeiro ponto doutrinário apresenta os dois extremos teológicos, de que “toda a Escritura é de inspiração divina” (registro das mensagens), assim como também “contém a inspirada Palavra de Deus” (mensagem do registro). Assim, ao afirmarmos que a Bíblia contém, não estamos com isto negando a inspiração plenária e verbal de toda a Bíblia, o mesmo também é apontado pelo escritor batista, Dr. Aníbal Pereira Reis:

 “A Bíblia toda e somente a Bíblia é a Revelação de Deus! Em matéria religiosa a Sagrada Escritura basta. É de seu próprio teor ser suficiente. <<Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu vos mando >> (Dt. 4:2). <<... nada lhe acrescentarás nem diminuirás>> (Dt. 12:32), exortava Moisés.  Todo este estudo agora encerrado nos leva a esta irretorquível conclusão: unicamente a Bíblia é e contém a Palavra de Deus e Sua Revelação total para esta Dispensação.” (Pereira Reis, Aníbal. O Vaticano e a Bíblia, pág. 121, Edições Caminho de Damasco, 1969, São Paulo - Brasil). – O negrito é meu.

Portanto, não possui fundamentação em nosso credo a tempestade criada por alguns que aludem, negativamente, a nossa crença na inspiração plenária e verbal de toda a Escritura. Os que dizem o contrário, talvez, criaram outro ponto doutrinário diverso da CCB, negando a crença nas três referências supracitadas, referências estas que endossam a fé na inspiração plenária e verbal da Santa Escritura.

Vocabulário:

Conter - Incluir, abarcar, abranger, compreender, encerrar, englobar, enquadrar.

Deus vos abençoe

Daniel Kauphan

Fontes:
.Hinos de louvores e Súplicas a Deus – Livro número 5 (CCB);
.Hinos de louvores e Súplicas a Deus – Livro número 4 (CCB);
.Bíblia Sagrada, Almeida, Corrigida, Fiel (ACF) – Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil (SBTB);
.Gilberto, Antônio. Manual da Escola Dominical – Pela Excelência do Ensino da Palavra de Deus – Edição Atualizada, 14ª Edição/1995. Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD) – Rio de Janeiro, RJ, Brasil;
.Pereira Reis, Aníbal. O Vaticano e a Bíblia, Edições Caminho de Damasco, 1969, São Paulo - Brasil
.Dicionário Sinônimos e Antônimos Houais, Versão Ampliada/Nova Ortografia, 2ª Edição 2008 – PubliFolha, São Paulo.

83 comentários:

  1. Poderia analisar a mudança do segundo ponto também?

    ResponderExcluir
  2. A análise já esta no blog. Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. A sua matéria é interessante, é que restringem em uma óptica holística "stricto sensu", imagine se, quando Deus determinou as "tábuas da lei" com os mandamentos instituídos, sobre o comando de Moisés, permanecesse ate os confins dos tempos? O que seria de nós? A oportunidade de salvação seria zero. Pois, somos considerados gentios (incircuncisos). O homem é mutante constantemente em suas ideologias, costumes, etc, e Deus é imutável no seu propósito de salvar a sua criação, porém requer de ajustes de condutas, as vezes para consertar o entendimento do verdadeiro querer de Deus, sem mexer nos aspectos dogmáticos implantados, nem ferir o cerne da estrutura (o que envolve: moral, valores éticos, etc.) ou seja, a graça que o Senhor Jesus deixou com apenas dois mandamentos... Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  5. Achei interessante a sua explicação sobre a mudança. Isso não significa que seja obrigado a concordar ou aceitar. Apesar disso, minhas curiosidades são as seguintes: Por que só após cem anos, o ES atentou para esse detalhe? Quem inspirou então os pontos de doutrina dos 4 hinários anteriores? Se realmente não faz diferença, então porque mudar? Isso não abre margem para se afirmar que o livro A ou B não é inspirado; ou que os versículos C ou D não são inspirados? Quem assumiria uma afirmação dessas, ou colocar-se-ia de novo nas costas do ES?

    Em matemática, quando falo que um conjunto contém determinado elemento, significa que nem todos os elementos desse conjunto são iguais. A Bíblia pode conter a Palavra de Deus, e não conter também? Como se explica isso? O credo da denominação do sr. Antonio Gilberto afirma que a Bíblia CONTÉM a Palavra de Deus, ou ele apenas citou isso em um texto seu para reforçar a inspiração divina, se é que isso seja necessário? Aliás, qual igreja evangélica séria possui esse tópico de doutrina, ou seria apenas TJs e mórmons e maçons e adventistas?

    Irmão, não deixe de responder minhas perguntas, por favor. Se houver base bíblica, melhor ainda, com mais de um versículo. Mas com todo respeito, não se justifica o injustificável. Mudar uma doutrina bíblica é alterar o que está escrito. Repito, essa doutrina é BÍBLICA, tanto que fez parte de nossos pontos doutrinários por 100 anos. Alguém está errado, ou os irmãos que mudaram ou o ES.

    Deus abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1. A revelação de Deus é progressiva, no passado homens de Deus escreveram verdades em nossos hinários anteriores,; hoje outros homens de Deus escreveram sobre as mesmas verdades, porém, mais esclarecedoras, mais profundas. Assim, uma luz não subtrai a outra, pelo contrário, soma-se a ela. É como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.

      2. Não, irmão, não abre margem para aludir qual livro seja inspirado, ou não. Releia novamente, não é isso que está no texto. O mesmo apenas mostra o que vem a ser INSPIRAÇÃO DO REGISTRO DA MENSAGEM e INSPIRAÇÃO DA MENSAGEM DO REGISTRO, são coisas para lá de distintas e explicado sobejamente na devida matéria. A Congregação reafirma que toda a Bíblia é inspirada por Deus, pois esta é uma das bases referenciais de nossa doutrina, basta conferir.

      3.O livro Manual da Escola Dominica, de autoria do Sr. Ant. Gilberto, mostra a diferença entre o que vem a ser inspiração do registro da mensagem X inspiração da mensagem do registro. Em outras palavras, ele testifica que na inspiração da mensagem do registro são apenas os ditos originados em Deus. Todas as "mentiras" e seus derivados não são inspirados por Deus, e isto, na mensagem do registro. Releia novamente a devida referência, é mais claro que cristão. Digo mais, a CPAD não oria publicar um manual que contenha "heresia" para ser ensinado nas devidas igrejas. Ora, se há "mensagem dos registros" NÃO INSPIRADOS, logicamente CONTÉM, os inpirados. Nem precisaria estar escrito o "conter," qualquer pessoa - diga-se de passagem - de mediana inteligência compreenderia isso com facilidade.

      Deus o abençoe.

      Excluir
    2. 4. Não estamos negando a inspiração plenária da Bíblia, querido. Toda a Bíblia é inspirada por Deus - isto - no registro de todas as mensagens, quer seja históricos, poéticos ou proféticos. O tema da questão está na MENSAGEM DO REGISTRO, e não no REGISTRO DA MENSAGEM... Entendeu?

      Por isso, repito que se leia novamente o texto com mais atenção, cuidado. Outra coisa, para se firmar uma doutrina será que é necessário mais de um versículo? A Bíblia ensina isso, onde? O que faremos então com Mateus 28.19, pode ser descartado como doutrina inválida por constar em apenas um versículo? E olha que a Bíblia possui 31.173 versos... Se o irmão concordar Mateus 28.19 seja uma doutrina que deve ser mantida, logicamente seu argumento pedindo mais de um verso não possui fundamento algum.

      Mas... vou apresentar um exemplo para o irmão entender melhor:

      (1)"E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás." (Gênesis 2.16,17)

      1. O REGISTRO DESTA MENSAGEM é inspirada por Deus, pois o Senhor inspirou o Seu servo para registrar com fidelidade suas palavras proferidas ao homem.

      2. A MENSAGEM DESTE REGISTRO também é inspirado por Deus, pois teve sua origem ou procedência em Deus.

      (2)"Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." (Gênesis 3.4,5)

      1. O REGISTRO DESTA MENSAGEM é inspirado por Deus, pois Deus inspirou o Seu servo para registrar com precisão o engano/mentira dito pela serpente.

      2. A MENSAGEM DESTE REGISTRO não é inspirado por Deus, pois tal mensagem não teve sua origem ou procedência em Deus, mas em Satanás, o pai da mentira/engano!

      Neste sentido, irmão, a Bíblia contém a inspirada Palavra de Deus. Deve-se observar quem está falando por meio da mensagem do registro, entendeu?

      Creio que sim.



      Deus o abençoe.

      Excluir
  6. Errat: "Oria" para "iria"; "cristão" para "cristal" e "inpirados" para "inspirados".


    PS.: Embora o credo doutrinário de uma determinada igreja não seja IDÊNTICO com nenhuma outra, a mesma não poderá ser taxada como pertencente as "não" sérias até que se prove o contrário. Os credos doutrinários de umas podem - e muito bem - ser mais claras que o de outras sem incorrer em heresia.

    Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  7. Só tenho uma dúvida irmão Daniel. O irmão disse que nesse primeiro ponto, a verdade foi reescrita de forma mais esclarecedora.

    Porque então não explicaram a irmandade sobre essa alteração? Eu já ouvi outras versões para esssa mudança, a maioria dizendo que é a mesma coisa. Ora se é importante escrever algo de uma forma mais clara, porque então não informar a irmandade, para que entendam melhor ainda?

    O meu ancião não tinha uma explicação como a sua, aliás, ficou sabendo dessa mudança (que foi feita há muito tempo) agora. Conversando com irmãos de outras regiões, também fui informado que foram pegos de surpresa com essa mudança.

    Se um dia os líderes da CCB resolverem se pronunciar sobre essa mudança, a explicação será igual a sua, ou sua explicação é baseada em sua interpretação com a ajuda de um ancião que você mantem contato?

    Pergunto isso, porque outro irmão (Ednelson) que tem bastante contato com anciães deu uma explicação diferente da sua. Veja no link abaixo:

    http://ccbsemcensuras.forumeiros.com/t23p15-a-biblia-contem-a-palavra-de-deus-e-nao-e-a-palavra-de-deus-vale-apena-ver#786

    Preciso saber qual explicação é a oficial. Penso que se Deus fosse revelar uma mudança para esclarecer a irmandade, com certeza essa mudança deveria ser explicada para a irmandade. Vejo que muitos não entenderam ou nem mesmo perceberam essa mudança.
    Eu, por via das dúvidas, risquei a palavra contendo do hinário novo que comprei.

    Deus o abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Santa Paz de Deus

      Querido irmão Constantino, realmente, os nossos irmãos do ministério deveriam dar uma explicação à nossa querida irmandade. Quanto ao seu ancião, creio ser um dever de todos do ministério examinar constantemente todos os pontos de doutrina e suas devidas referências Bíblicas, para que possam manejar e defender com precisão os pilares doutrinários da nossa fé. Quando o mesmo - segundo o irmão - ficou sabendo apenas 'agora', apenas se revelou que não anda examinando a muito a doutrina que procura propagar... Que coisa, hein?

      Quanto a minha interpretação, a mesma já estava alinhada com os argumentos apresentados por um ancião, eu apenas enriqueci mais meu texto, digo mais, pelo teor apresentado por ele, o mesmo demonstrou ser culto, conhecedor das Escrituras Sagradas.

      Quanto aos argumentos do devido irmão, o "Ednelson", examine onde nossa doutrina está biblicamente amparada, aliás, isso já está em meu texto acima. Digo-lhe que nossa doutrina está muito bem amparada, referencialmente em II Timóteo 3:16-17:

      “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.”

      Como se pode ver, o devido texto em que nosso artigo de fé 1 se apóia, não nega a inspiração plenária da Bíblia, pois diz que "TODA A ESCRITURA E DIVINAMENTE INSPIRADA"!

      Todo argumento que contrariar este pilar em que nos sustentamos, é espúrio, ilegítimo. Nem eu e muito menos o devido irmão tem autorização por falar - OFICIALMENTE - algo em nome do ministério da Congregação! Eu apenas interpreto O QUE ESTÁ ESCRITO EM NOSSOS PONTOS DE DOUTRINAS e seus devidos PONTOS REFERENCIAIS!

      Digo mais, cada pessoa possui um ponto de vista diferente de outrem, esta variação está de acordo o nível de entendimento de cada um. Apenas cabe aos internautas examinarem todos os argumentos qual deles explicam detalhadamente, DENTRO DO QUE ESTÁ ESCRITO NOS DEVIDOS PONTOS DE DOUTRINA, qual interpretação se mantém fiel a elas, e isto, bem embasados nas referências Bíblicas citadas, lembre-se disto.

      Deus o abençoe.

      Excluir
    2. Portanto, querido irmão, nem eu e nem o devido irmão Ednelson possui autorização - oficial - para falar algo em nome da Congregação.

      Como demonstrei em meu texto, o fato de afirmarmos no devido ponto doutrinário 1, que a Bíblia "contém" a inspirada Palavra de Deus, dentro do mesmo ponto doutrinário está a afirmação de que a mesma não nega a inspiração Divina de toda a Escritura Sagrada.

      Dentro do texto apresentado por mim, embora alguma "MENSAGEM DO REGISTRO" possa não ser inspirada, a mesma continua sendo inspirada por Deus como REGISTRO DA MENSAGEM. Esta explicação foi dada ao irmão "Márcio Biólogo", basta conferir acima. Digo mais, irmão, o vocábulo "conter" é sinônimo de "ter". Para ambos os casos e tantos outros, a palavra usada no Novo Testamento é "echõ", e ocorre 709 vezes em suas mais variadas formas de acordo o contexto. Apenas dois exemplos:

      “Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu "tens" (Gr. echõ) as palavras da vida eterna”. (João 6.68). - As aspas são minhas.

      Assim, embora haja nas Escrituras mensagens dos registros das Palavras ditas pelos fariseus, apenas as de Jesus transmitiam salvação.

      “Ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro "contendo" (Gr. echõ) o maná, o bordão de Arão, que floresceu, e as tábuas da aliança”. (Hebreus 9.4 - RA). - As aspas são minhas.

      Deus o abençoe.

      Excluir
  8. Irmão Daniel;

    Quando fiz o relato sobre sua matéria, ate então, não tinha observado um detalhe de supla importância, que gera polêmica aos que combatem a CCB, nesta (Mudança do Primeiro Ponto Básico de Fé e Doutrina no Estatuto e no Hinário Número 5), quero parabenizar pela matéria publicada neste link e pelas explicações que têm relatado ao ser indagado; com imparcialidade e respeito a todos. Apesar de achar normal a mudança, como havia comentado acima, o ajuste no termo “contendo” não interferiu nos princípios dogmáticos da CCB, mas, o que pode gerar polêmica; e que muitos irmãos (incautos) não observaram, porque não foi comunicado com antecedência, de maneira que não foi observado o “principio da publicidade”, preceituada em nossa “carta magna”, efeito “erga omnes” (ops).

    Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  9. O fato da Bíblia sagrada conter ou ser a palavra de Deus, não fere nenhuma doutrina cristã, uma vez que os primeiros cristãos (I ao inicio do III século) não tinham este cânon bíblico de hoje. Subtende-se que eles não tinham este primeiro ponto de doutrina que temos hoje. Então partido do pressuposto de que a bíblia é uma coletânea de livros formulada no final III século não há que se falar em mudança de doutrina, uma vez que, a inspiração da doutrina cristã encerrou com a morte dos apóstolos. O que ocorreu após a morte dos apóstolos, foi apenas para melhor compreensão e organização da igreja de cristo.

    ResponderExcluir
  10. Irmão Daniel,

    Quando mencionei que meu ancião não sabia sobre essa modificação, o irmão com seu comentário disse que isso deveria ser algo que todo ancião deveria saber.

    "Quando o mesmo - segundo o irmão - ficou sabendo apenas 'agora', apenas se revelou que não anda examinando a muito a doutrina que procura propagar... Que coisa, hein?"

    Pois bem, veja agora o comentário em dois blogs, sendo que o primeiro é escrito por um cooperador e a pergunta foi feita a um ancião que pertence ao conselho do Brás:

    http://blogdoirlandes.blogspot.com.br/2013/02/sobre-o-primeiro-ponto-de-doutrina-ccb.html

    http://bereiano.wordpress.com/2013/02/09/os-anciaes-de-todo-o-brasil/

    Veja, no primeiro caso, um ancião que faz parte do conselho de anciães há mais de uma década não sabe de nada sobre essa mudança. No segundo caso, o irmão do blog consultou 7 anciães, e todos não sabiam. Eu consultei 2. Ou seja, total de 11 anciães (sendo um do conselho) que não sabem nada sobre essa modificação (quanto mais os motivos). Ficaram sabendo 'agora'... Que coisa hein?!

    Isso prova, que esse desconhecimento geral por parte da irmandade e dos anciães não é algo isolado, ou particular. Como posso exigir que meu ancião (que tem 8 anos de ministério) saiba de algo que nem um membro do conselho sabe?

    Esse ancião mencionado no artigo que passou alguns argumentos sobre essa modificação, recebeu a notícia dessa modificação pelos líderes da CCB, ou também ficou sabendo pela internet, e assim como o irmão analisou essa mudança segundo o seu ponto de visita?

    Pelo andar da carruagem, daqui há pouco ninguem vai saber quem fez essas modificações. Vão acabar dizendo que foi erro de digitação. Aliás, o irmão cooperador do primeiro blog, até levantou uma outra hipótese:

    "Por ser membro do conselho dos mais antigos desde o início da década passada, leva a crer que essa alteração não deve ter partido dos anciães, mas talvez dos administradores quando compilaram o novo Estatuto em 2004 e possa ter passado desapercebida."

    Que coisa hein?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Constantino,

      Aqui, tanto o meu ancião quanto os irmãos da Administração sabem da mudança de termo presente no primeiro ponto doutrinário, desconheciam apenas as mudanças de palavras no artigo 2 e 5. O Conselho de anciães da Congregação, ao meu ver, é formado por um ou dois dos mais antigos de cada Estado Brasileiro, e não unicamente pelos anciães de S. Paulo. Cada Estado possui o seu Conselho, e a direção geral da Congregação é formado pelos anciães mais antigos de cada Estado.

      Faço saber ao irmão, que estou escrevendo uma carta e a mesma será direcionada à um ancião (prefiro não dizer o nome) que poderá me responder - creio eu - satisfatoriamente às minhas indagações, além de eu enviar uma pequena e singela observação em um dos pontos de Doutrina. É verdade que muitos dos nossos anciães "dormem no ponto", exatamente por faltar com o exame constante e minuciosa da doutrina que procuram propagar...

      Deus o abençoe.

      Excluir
  11. Querido irmão,

    Eu creio que a direção da CCB teve as melhores intenções quando mudou o paragrafo do hinario e colocou a palavra contem,mas o senhor sabe que os inimigos da biblia, e consequentemente de Deus, pegam isso para dizer que a biblia não é de Deus e sim de homens,pois dizem eles:

    -Tá vendo?!! a biblia não é a palavra de Deus ela só contem,logo não é toda divinamente inspirada!

    Quanto ao escritor batista,ele omite sua opinião em respeito a este assunto e isso não quer dizer que reflete o credo da igreja batista,pois creio eu que tal escritor não faz parte da direção geral desta igreja,portanto não tendo autoridade para falar em nome de toda a igreja.

    Paz a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido irmão Carlos;

      Os escritos da CCB quanto à mudança do referido parágrafo, segundo demonstrado em meu estudo, não nega a inspiração - como registro da mensagem - de toda a Bíblia Sagrada, pelo contrários, reafirmamos.

      O escritor batista, Dr. AnIbal Pereira Reis, ao dizer que a Bíblia é e contêm a Palavra de Deus, não está negando que toda a Bíblia seja inspirada por Deus, pelo contrário, ele reafirma isso tal como nós: "A Bíblia "É" e "CONTÊM" a Palavra de Deus".

      É a Palavra de Deus - No registro da mensagem.
      Contêm a Palavra de Deus - Na mensagem do registro.

      Isto já está muito bem explicado em meu estudo e até citei exemplos em comentário para um nosso irmão, basta pesquisar acima.

      O fato de eu ter apontado os estudos dele (Dr. Aníbal) - que é apreciado pelos batistas - apenas serviu-me para demonstrar que tal declaração não nega o que já sabemos, a inspiração plenária e verbal das Escrituras como toda e suficiente à nossa fé. O Dr. Aníbal de modo algum omitiu sua opinião, pelo contrário, proferiu-a.

      Transcrevo novamente a opinião do mesmo:

      “A Bíblia toda e somente a Bíblia é a Revelação de Deus! Em matéria religiosa a Sagrada Escritura basta. É de seu próprio teor ser suficiente. <> (Dt. 4:2). <<... nada lhe acrescentarás nem diminuirás>> (Dt. 12:32), exortava Moisés. Todo este estudo agora encerrado nos leva a esta irretorquível conclusão: unicamente a Bíblia é e contém a Palavra de Deus e Sua Revelação total para esta Dispensação.” (Pereira Reis, Aníbal. O Vaticano e a Bíblia, pág. 121, Edições Caminho de Damasco, 1969, São Paulo - Brasil).

      Embora tenha dito que a Bíblia É e CONTÊM a Palavra de Deus, o mesmo não nega que somente toda a Bíblia seja a revelação de Deus, reafirma isto. Portanto, uma afirmação não nega a outra. Esta é a intenção de eu apontar como referência, a fé de um batista fervoroso em suas convicções cristãs.

      Creio que meu estudo na questão ficou clara quanto a isto, e muito bem clara.

      Deus o abençoe pelo comentário.

      Excluir
  12. Querido irmão Daniel,

    Eu entendi o que o irmão escreveu a respeito deste assunto....mas fica uma pergunta:Sera que todos entenderam?....ou... sera que todos compreenderão esta mudança no Hinario? o receio é que neste meio todo alguma alma se perca,pois o senhor sabe que o inimigo é astuto e pode ter certeza que alguem com menos conhecimento biblico,pode ser levado pelas suas artimanhas.
    Reflita no meu comentario anterior.
    Deus te abençoe

    ResponderExcluir
  13. Em razão disto tenho elaborado este estudo, pois o "receio" do irmão também é compartilhado por mim.

    Oremos por todos.

    Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  14. Paz de Deus.

    Com todo o respeito ao irmão Daniel, mas não aceito seu argumento ainda irmão. Por alguns motivos simples, mas importantes para mim:
    - No meio evangélico, sempre ocorrerão vozes discordantes, o que não significa que estão certos, pois o homem falha. O fato de um batista e um assembleiano dizerem que crêem nesse ponto (ser e conter) não quer dizer que estão certos. Segundo sei, a MAIORIA dos credos cristãos, protestantes e pentecostais só aceitam a Bíblia como SENDO a Palavra de Deus.

    - Entendi o que o irmão quis dizer sobre a diferença entre a MENSAGEM DO REGISTRO e O REGISTRO DA MENSAGEM. Porém, eu crei que o debate não se resume a isso. Estamos falando de um credo doutrinário, não de uma interpretação linguística da Bíblia que contradiz dois mil anos de fé. Os gnósticos combatidos por Paulo, quando falava de "vãs filosofias e sabedoria humana", foram quem inventaram essa heresia de que nem tudo na Bíblia era inspirado, para afirmar que Jesus não era Deus encarnado, ou que podíamos obter salvação mediante obras. Grupos desse tipo eram chamados de anticristo por negarem doutrinas básicas do cristianismo. Esses grupos voltaram com força total no Iluminismo (Séc. XVIII e XIX), e no começo do séc. XX. A teologia liberal (neo-liberal para alguns) simplesmente DETONA com crenças básicas do cristianismo baseada na crença que a CCB assume agora, 100 anos depois. Ah! E o ES não Se aperfeiçoa, o que Ele revelou está revelado, não muda. Quem se aperfeiçoa é o homem (nunca conseguirá sozinho essa façanha, mas tenta). O ES nunca vai acrescentar luz ao que revelou, pois Ele é a própria luz. Esse argumento do acréscimo é oriundo dos teólogos liberais, os que detonam com o cristianismo de dentro dele mesmo.

    - Não importa se a mensagem do registro inspirado foi proferida por Satanás, ou uma mentira de Sansão ou Raabe, etc. Importa é que essa mensagem ficou registrada inspirada, sim, pelo ES, para servir de lição. O tópico 1, infelizmente, abre margem para que qualquer um possa "argumentar" que essas passagens nem são inspiradas pelo ES. Justamente porque é uma baita contradição afirmar que a Bíblia é TODA inspirada, e ao mesmo tempo afirmar que a mensagem do registro, mesmo inspirada, não veio de Deus. Claro que até uma pessoa menos esclarecida entende que em certos trechos foi o diabo que falou. O mais importante é saber que aquele trecho só está ali REGISTRADO por permissão de Deus. Logo, essa diferença de registros, na verdade, não faz nenhum sentido teológico. Pois estamos falando de regra de fé, de crença doutrinária.

    - Creio também que no dicionário encontraremos a diferença entre os verbos SER e CONTER. Um livro santo e dogmático, regra de fé, fechado (irmãos tentaram me dizer que é um livro incompleto para justificar essa mudança!) não pode ao mesmo tempo SER e CONTER a Palavra de Deus (mesmo que Deus cite o que o diabo falou nesse mesmo livro).

    - Finalmente, irmão, o seu texto, por mais que eu o respeite, não reflete uma regra de fé porque não reflete o que se lê na Bíblia. A Bíblia se prova por si própria, não precisa de acréscimo nem aperfeiçoamento. Os gnósticos e teólogos liberais tentam achar falhas na Bíblia mas não conseguem, justamente porque Ela se prova sozinha.

    - Fico com o Martinho Lutero nesse ponto: "Nenhum argumento valerá se não for bíblico, mesmo que faça chover milagres". Em nenhum ponto da Bíblia se diz que Ele contém a Palavra de Deus, mas em vários se diz que ela É a Palavra de Deus.

    ResponderExcluir

  15. A Santa Paz de Deus!
    Se o irmão não observou, seus argumentos voltam aos mesmíssimos pontos outrora refutados, mas... Vamos lá:

    1) Vozes discordantes: Muito comum, e ocorre em todos os ambientes, e realmente todos não podem estar certos. Quanto aos escritores por mim mencionados, suas igrejas de origem não os contestaram, o segundo, a Casa Publicadora não iria publicar algo que não estivesse alinhada à fé de todas as suas igrejas, afinal, a Casa publicadora pertence não a uma pessoa, mas é orgão oficial de todas as igrejas ligadas a ela. As devidas afirmações não contrariam o credo ortodoxo, e isto quando bem compreendidas.

    3) Um credo doutrinário é apenas um pequeno resumo do que vem a ser a doutrina, não é elaborada para expirar o assunto em apenas uma frase. Todo credo doutrinário para ser estabelecido é feito por uma interpretação linguística do que vem a ser essa doutrina, caso contrário, como uma igreja iria estabelecer uma doutrina sem antes estudar o assunto e expõ-la em apenas três frases. De modo algum 'contradiz' dois mil anos de fé, pelo contrário, permanece estabelecida, meu texto mostra isso claramente.

    4) Os gnósticos não criam na inspiração do registro de todas as mensagens, o nobre irmão está fazendo uma tremenda salada, misturando uma coisa com outra para lá de distinta. Uma pessoa de percepção curta daria crédito ao seu argumento; mas basta examinar seus prórios escritos para se ver a ontradição, veja o que o irmão escreveu:

    "Claro que até uma pessoa menos esclarecida entende que em certos trechos foi o diabo que falou. O mais importante é saber que aquele trecho só está ali REGISTRADO por permissão de Deus. Logo, essa diferença de registros, na verdade, não faz nenhum sentido teológico. Pois estamos falando de regra de fé, de crença doutrinária."

    Ora, amado, embora o devido escritor não estava presente para ouvir "certos trechos" ditos pelo diabo, Deus INSPIROU o Seu servo a escrever com fidelidade o que foi dito pelo diabo, isso se chama INSPIRAÇÃO do "Registro da Mensagem". O que NÃO É INSPIRADA por Deus é a mensagem contida no registro proferida pelo diabo, ou seja, a MENTIRA! Portanto, uma coisa é inspirada, ao passo que a outra não o é! Como o irmão mesmo disse, até uma pessoa "menos esclarecida" entenderia que "certos trechos" foi o diabo quem falou, sendo inspirado não a fala dele, mas o registro da fala. Isto só 'não faz sentido' para aquele que não quer aceitar essa verdade nua e crua, teologicamente faz sentido, sim, exatamente por ser matéria de estudo nas escolinhas dominicais. Não há como tampar o sol com peneira.

    5) Quanto aos termos SER e CONTER, examine minha matéria "ESTUDO SOBRE O VOCÁBULO BÍBLIA".

    6) Finalmente, amado, meu texto apenas explica uma regra de fé, exatamente por explicar algo comprovado na Bíblia. Verdade, as Escrituras Sagradas não precisam de "aperfeiçoamento", este aperfeiçoamento é buscado por nós, afinal, Ela é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais sobre nós, até ser dia perfeito. Eu, pelo contrário, não fico com o idólatra Martinho Lutero, mas com a Sagrada Escritura. Se na Bíblia não está contida as Sagradas Letras, a Palavra de Deus, há algo de errado em seus argumenttos. O nome "Bíblia" consta apenas na capa do respectivo livro, e o valor de um livro não está em sua capa, mas em seu conteúdo. Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  16. Quanto à mudança do 1º ponto de doutrina, que agora tem o texto: “Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-La como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo.”, não há nada de errado ou herético, como este site tem a distorcida pretensão de fazer acreditar. Sou estudante de Direito e no curso somos constantemente ensinados a INTERPRETAR TEXTOS NO CONTEXTO e não somente em suas partes desconexas ou isoladas. Senão façamos uma análise gramatical e concordancial por partes e veremos que apenas retrata mais fielmente o conteúdo da Bíblia Sagrada:
    1. “Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada”: Nós, membros da CCB cremos na INTEIRA Bíblia Sagrada, ou seja, em tudo que está escrito e nos 66 livros.
    2. Conjunção “e”: conjunção que DETERMINA a conexão entre as frases, sendo que a primeira é confirmada pela segunda.
    3. Assim, segue a parte final da oração: “aceitamo-La como contendo a infalível Palavra de Deus”: a oração é formada por duas frases que se completam inteiramente. “Aceitamo-La” significa: “Aceitamos a Bíblia Sagrada”, sendo que o pronome “La” vem com letra inicial maiúscula, indicando claramente que se substitui o termo “Bíblia Sagrada”.
    4. “Aceitamo-La como contendo a infalível Palavra de Deus”: aceitamos a inteira Bíblia Sagrada, que contém a infalível Palavra de Deus. Pois bem, este é o ponto mais polêmico para os desavisados quanto à interpretação gramatical e concordancial. Nada mais é que a Bíblia Sagrada não é somente profecias, revelações, admoestações, aconselhamentos, mandamentos de Deus, isso porque simplesmente a Bíblia também contém outros aspectos: histórico, sociológico, psicológico, científico, jurídico, político.
    4.1. Histórico: conta as histórias do surgimento da Terra, do homem, dos povos, do povo hebreu, do seu cativeiro, libertação, de Ester, Sansão, até dos reis de outros povos (Nabucodonozor, Dario, Hirão), a história de Jesus, dos apóstolos, das viagens, etc. (isso é Palavra de Deus???)
    4.2. Sociológico: trata das relações sociais entre as pessoas, como devem proceder uma com as outras, etc. Inclusive histórias de maus exemplos: Noé se embebeda e fica nu, palavras de espíritos malignos se manifestam em várias pessoas (isso pode ser considerado como Palavra de Deus???)
    4.3. Psicológico: são conselhos e situações em que o psicológico das pessoas são retratados, inclusive relata quando Jesus sentiu ansiedade, medo, alegria, etc.
    4.4. Científico: em Jô (26:7) é escrito que “Deus sustenta a terra sobre o nada”, ou seja, o planeta Terra está orbitando no Universo, e em outra passagem em Isaías (40:22): “Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra”, ou seja, a Terra é redonda, o que veio a ser descoberto pelo homem somente no século XVI por Galileu.
    4.5. Jurídico: as leis existentes entre o povo judeu, por exemplo, quando Salomão recomenda cortar o menino ao meio diante da contenda entre as supostas mães.
    4.6. Político: exemplo quando o povo rejeita os juízes e querem um rei, escolhendo então Saul contra a vontade de Deus.
    5. “inspirada pelo Espírito Santo.”: cremos na Bíblia Sagrada, inteira e contendo a Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo, isto é, cremos que toda a Bíblia foi inspirada pelo Espírito Santo de Deus, mas que Ela não trata somente da Palavra de Deus, já que contém, TAMBÉM POR INSPIRAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO, aspectos históricos, sociológicos, jurídicos, políticos, científicos.
    (CONTINUA....)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perdoem-me quando escrevo: "como este site tem a distorcida pretensão de fazer acreditar". Na verdade, esta parte se referia a outro site, não a este do irmão Daniel.

      Excluir
    2. A Santa Paz de Deus.

      Querido irmão UnKnown...

      O irmão afirmou o seguinte: "Quanto à mudança do 1º ponto de doutrina, que agora tem o texto: “Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-La como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo.”, não há nada de errado ou herético, como este site tem a distorcida pretensão de fazer acreditar. "

      Segue minhas singelas respostas:

      1. Eu creio que o irmão não leu meu texto e, se o fez, foi às pressas. Volte, por favor e releia meu texto, então o irmão descobrirá que eu estou defendendo o nosso atual ponto doutrinário como não havendo - realmente - nada de errado nela. Seja cauteloso em suas palavras, pois bater o "martelo" sem examinar cuidadosamente um texto.

      O irmão disse mais: "Sou estudante de Direito e no curso somos constantemente ensinados a INTERPRETAR TEXTOS NO CONTEXTO e não somente em suas partes desconexas ou isoladas."

      2. Neste caso, o irmão errou - e feio - em não usar desta ferramenta para entender o que estou defendendo. Peço ao amado - mais uma vez - que releia minha matéria interpretando TEXTO NO CONTEXTO, porventura não é isto que faço? Aliás, em estudo da língua portuguesa, todo professor adverte seus alunos em não examinar o significado de uma palavra fora do seu contexto. Isto, não é novidade alguma.

      Creio que o irmão seguirá meu conselho em rever novamente o texto... Circunspecciosamente.

      Deus o abençoe.

      Excluir
  17. (PARTE FINAL).
    Resumindo: Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamos a inteira Bíblia Sagrada como contendo a infalível Palavra de Deus (e outros assuntos), mas todos os livros e assuntos são inspirados pelo Espírito Santo. Tudo que está na Bíblia é inspirado pelo Espírito Santo para a melhor contextualização dos fatos descritos em consonância com a espiritualidade da Palavra de Deus, para que Esta faça sentido, que nos dê exemplos a serem seguidos e os que não devemos seguir. A Palavra de Deus é somente aqueles textos que são de caridade, de amor, de ensinamento, de aconselhamento, correção, profecia, revelação, e que são diretamente direcionadas aos fiéis da Igreja de Cristo. As falas, os atos, a descrição de fatos históricos não são Palavra de Deus, mesmo porque como Deus poderia ter em sua Palavra, as blasfêmias proferidas pelos fariseus, pelos endemoniados, que têm suas falas descritas na Santa Escritura? Então, aos incautos em interpretar textos no seu contexto, não inventem ou falem a esmo, toda a palavra vã será julgada por Deus. Deus abençoe a todos, A Paz de Deus. Gil Queiroz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amado irmão UnKnown...

      O amado ainda proseguiu, dizendo: "Então, aos incautos em interpretar textos no seu contexto, não inventem ou falem a esmo, toda a palavra vã será julgada por Deus."

      Minha singela resposta: - Por isto mesmo que eu peço ao irmão para reavaliar seu conceito sobre minha matéria, se leu... Não entendeu.

      Deus o abençoe.

      Excluir
    2. Discordo do que o irmão UnKnown disse: "A Palavra de Deus é somente aqueles textos que são de caridade, de amor, de ensinamento, de aconselhamento, correção, profecia, revelação, e que são diretamente direcionadas aos fiéis da Igreja de Cristo. As falas, os atos, a descrição de fatos históricos não são Palavra de Deus, mesmo porque como Deus poderia ter em sua Palavra, as blasfêmias proferidas pelos fariseus, pelos endemoniados, que têm suas falas descritas na Santa Escritura?"

      Meu querido irmão UnKnown, o irmão está contrariando o nosso primeiro artigo doutrinário, pois a mesma diz que a Bíblia contém INTEIRAMENTE a Inspirada Palavra de Deus. Tudo o que se encontra registrado na Bíblia, é inspirado por Deus, sendo por isso mesmo a Palavra de Deus. Ora, amado, se os fatos históricos não são Palavra de Deus, o que o irmão fará da história de Jesus narrado na Escritura, desde Seu nascimento até sua morte?

      O que o irmão fará do livro de Atos dos Apóstolos que narram os primeiros anos da igreja e os atos do Espírito Santo na vida da igreja?

      O que o irmão fará do livro de Gênesis que conta a história da criação dos céus e da terra e de tudo o que existe?

      A Bíblia é e contém em todos os seus livros uma coleção da história e fé do povo de Deus em todos os tempos! História é a "ciência" (conhecimento) do passado!

      Gostaria que o irmão se retratasse, pois proferiu uma heresia contra a fé que procura defender.

      REGISTRO DAS MENSAGENS: - Cremos que todos os registros escritos na Bíblia Sagrada são inspiradas por Deus; sendo, portanto, a pura Palavra de Deus de Gênesis a Apocalipse.

      MENSAGENS DOS REGISTROS: - Cremos que nem todas as mensagens, conquanto "origem, fonte e/ou quem fala por meio da mensagem do registro nem sempre é Deus falando".

      “O Diabo. A Bíblia registra palavras e mensagens dele. Nos casos 2 e 3 acima, a inspiração divina consiste do registro da mensagem e não da mensagem do registro!” (Gilberto, Antônio. Manual da Escola Dominical – Pela Excelência do Ensino da Palavra de Deus – Edição Atualizada, 14ª Edição/1995, pág. 53, Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD) – Rio de Janeiro, RJ, Brasil).

      O irmão deve tomar muito cuidado ao expor opinião publicamente, pois, sem saber, pode estar na contramão dos princípios doutrinários que procura defender.

      Deus o abençoe.

      Excluir
    3. A Paz de Deus, irmão Daniel. Eu postei esta resposta em outro site que é contra a nova descrição do 1º ponto de doutrina. Até pedi desculpas: (27 de março de 2013 15:01) "Perdoem-me quando escrevo: "como este site tem a distorcida pretensão de fazer acreditar". Na verdade, esta parte se referia a outro site, não a este do irmão Daniel". Mas, infelizmente o irmão focou somente nesta frase errada que postei, e distorceu todo o meu texto quanto à interpretação. Se o irmão ainda não compreendeu, eu corroboro inteiramente com a sua explicação, o irmão é que ainda não entendeu que uma parte de tudo que postei foi erradamente direcionada ao seu post. Por favor, releia com calma e verás que compartilho da sua ideia. E mais, fiz o logon no Google para publicar aqui, mas saiu o Unknown não sei por qual razão. Mas, novamente repito, se o irmão tiver a paciência de ler o meu texto até o final verá minha assinatura: Gil Queiroz.

      Excluir
    4. Meu querido irmão UnKnown, o irmão está contrariando o nosso primeiro artigo doutrinário, pois a mesma diz que a Bíblia contém INTEIRAMENTE a Inspirada Palavra de Deus. Tudo o que se encontra registrado na Bíblia, é inspirado por Deus, sendo por isso mesmo a Palavra de Deus. Ora, amado, se os fatos históricos não são Palavra de Deus, o que o irmão fará da história de Jesus narrado na Escritura, desde Seu nascimento até sua morte?

      Minha resposta: ---Resumindo: Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamos a inteira Bíblia Sagrada como contendo a infalível Palavra de Deus (e outros assuntos), MAS TODOS OS LIVROS E ASSUNTOS SÃO INSPIRADOS PELO ESPÍRITO SANTO (grifei agora). Tudo que está na Bíblia é inspirado pelo Espírito Santo para a melhor contextualização dos fatos descritos em consonância com a espiritualidade da Palavra de Deus, para que Esta faça sentido, que nos dê exemplos a serem seguidos e os que não devemos seguir.---

      Se o irmão ler agora, com calma, entenderá que o meu comentário foi no sentido dos seus, não há conflito. Concordo plenamente que "A MENSAGEM DO REGISTRO também é inspirado por Deus, pois teve sua origem ou procedência em Deus.", mas não é a Palavra de Deus, no sentido de ser a essência de Deus ou do que Ele teria como Sua Palavra, mas uma Palavra inspirada pelo Espírito Santo ao homem que a escreveu.
      Em outros termos: não posso dizer que Deus inspirou os dizeres de Satanás quando tentou Jesus no deserto? Satanás tem livre arbítrio para falar o que quiser, assim como o homem. Na verdade, o Espírito Santo inspirou o homem (São Mateus, p.ex.) a descrever as falas de Satanás nas Santas Escrituras. Mas a fala em si de Satanás não é Palavra de Deus. É só isso que penso que talvez o irmão não entendeu, ou seja, isso é o que o irmão fala sobre Mensagem do Registro.

      E claro, não tenho medo nenhum do que escrevi, pois creio que toda a Bíblia é inspirada pelo Espírito Santo, apenas separo o que é espiritual do que é material no sentido de ser a literal Palavra de Deus, diverso do que são os aspectos históricos, sociais, jurídicos, descritos na Bíblia, mas reitero, SÃO TODOS INSPIRADOS PELO ESPÍRITO SANTO. Por favor, creio que o irmão, agora, entenderá se ler com calma o que escrevi, mesmo porque concordo com seu ponto de vista. O problema foi que o irmão se deteu apenas na frase errada que postei aqui (Unknown27 de março de 2013 15:01. Perdoem-me quando escrevo: "como este site tem a distorcida pretensão de fazer acreditar". Na verdade, esta parte se referia a outro site, não a este do irmão Daniel) e que se destinava a outro site que discorda da nossa visão sobre o 1º ponto de doutrina. Creio que finalmente nos entenderemos. E não me chamo Unknowm, eu assinei meu nome no final do "Resumindo" desde a primeira vez, mas o irmão, talvez por estar muito atarefado (como eu) não tenha lido. Deus te abençoe e a todos nossos irmãos.

      Excluir
    5. Está explicado, irmão UnKnown (Gil Queiroz). Parece que o irmão copiou suas resposta que estavam em outro blog e as aplicou aqui, mas se esqueceu de revisar determinadas passagens que especificavam o destinatário (outro blog), o que me levou a pensar que se referia a este.

      Quanto ao nome "Unknown", eu tenho que mencionar o que se encontra em seu perfil. Igualmente, o nome que eu escolhi para meu perfil é "Daniel Kauphan", mas meu nome verdadeiro é Romário. Examine meu perfil, já esclareci sobre isso.

      No demais, tudo bem, já está explicado; seja bem vindo e sinta-se à vontade para tecer mais comentários.

      Deus o abençoe.
      Um forte abraço fraternal.

      Romário N. Cardoso

      Excluir
    6. Que bom que ficou tudo esclarecido entre nós. Eu postei a mesma resposta em outro blog (http://www.cristanews.com.br/index.php/noticias/23-mudanca-do-primeiro-ponto-de-doutrina-da-congregacao-crista-no-brasil-nos-novos-hinarios#frmCommentPost), e apesar de ter assinado a assinatura não apareceu, reitero que a autoria é minha lá e aqui. O problema é que copiei e colei aqui mas sem retirar o que não se destinava a este espaço, mas logo em seguida pedi perdão pelo equívoco. No mais, a respeito do assunto, a Christian Congregation Church, de Wood Dale, Illinois, EUA, possui os mesmos pontos de doutrina da Congregação Cristã no Brasil, à época aprovados pelas Igrejas Italianas em 1927, mas não fizeram mudanças no 1º ponto de doutrina (http://www.christiancongregationchurch.com/what-we-believe.html). Tive um tio-avô por nome Romário. A Paz de Deus. Gil Queiroz.

      Excluir
    7. Amém!
      Como eu disse, tudo já explicado. Reitero: - Sinta´se à vontade para tecer mais comentários neste blog.

      Notifico também, que sábado dia 30 deste mês, oito anciães da "Romênia" estarão na cidade de Mirabela (MG), Norte de Minas (minha região). Fui convidado por um ancião para estar lá e, com certeza, vou me esforçar para ir a tal cidade não faltando ao culto à noite.

      Deus o abençoe.

      Excluir
  18. Leia esta outra matéria sobre os pontos de doutrina: http://apologiadidacheccb.blogspot.com.br/2013/03/parafraseando-os-doze-pontos-de.html

    ResponderExcluir
  19. MÁRIO - RJ. Irmão Daniel. A Paz de Deus. Que Ele muito lhe abençoe, pois sua clareza em discorrer sobre a mudança do tópico nº1 é muito importante para alguns CCBistas internautas, que estão dando ouvidos a dissidentes.

    ResponderExcluir
  20. Amém! Deus o abençoe pela visita e comentário. Sinta-se à vontade neste blog.

    Um forte abraço fraternal.

    ResponderExcluir
  21. Copiei do inicio:

    Portanto, sobre a Bíblia, há três frases afirmativas, cada afirmação é finalizada pelo ponto final:

    1. Contém a Palavra de Deus;
    2. Afirma-se que é "Palavra de Deus", e que nada se pode acrescentar ou diminuir;
    3. Poder de Deus para salvar.

    Em 2 e 3 não se trata do Livro Bíblia mas sim da Palavra de Deus (Jesus), nosso Senhor, que é Imutável e único Salvador

    Lucas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O irmão está equivocado, o artigo 1 trata única e exclusivamente à Palavra escrita (Bíblia) e o que ela é e representa; sobre a Palavra "personificada" (em pessoa = Jesus) é tratado única e exclusivamente no artigo 3. Cada um dos artigos de fé é exclusivo, específico a cada assunto.

      Deus o abençoe.

      Excluir
    2. Prezado Daniel, se o novo Ponto Ratificasse que Biblia é a Palavra de Deus, ou seja o Verbo, qual seria a necessidade da atual mudança?

      Podemos parafraseá-lo da seguinte maneira.

      Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-la como CONTENDO a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. [A Palavra de Deus, contida na Biblia] é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d’Ela diminuir. [A Palavra de Deus, contida na Biblia] É, também, o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê.

      Outra interpretação faz com que o ponto se contradiga. O que não foi a intenção do ministério.
      De qualquer forma a Palavra de Deus é Viva e só se manifesta pelo Espirito de Deus, A Biblia por si só é apenas um livro, que muitos possuem em seus lares, A Palavra de Deus, contida na Biblia, deve ser presente no coração.

      Att

      Lucas

      Excluir
    3. O artigo não diz que a Bíblia é "o Verbo" (Jesus), mas a Palavra escrita de Deus.

      O respectivo artigo define a Bíblia em 3 frases:

      1. Contem a inspirada Palavra de Deus:

      "Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-la como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo."

      2. Palavra de Deus como única e perfeita regra:

      A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d’Ela diminuir.

      3 É, "também", o poder de Deus para salvação:

      "É, também, o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê."

      No tocante a "outra interpretação", por certo a contradição não está no artigo, mas na maneira equivocada de interpretar; portanto, pode estar presente na eisegese "interpretativa"

      APDD!

      Excluir
    4. Prezado Daniel

      Utilizamos a Tradução Revista e Corrigida de João Ferreira de Almeida.
      As traduções são falhas, e muitas delas acrescentam algo que não está nos manuscritos mais antigos e melhores. Por exemplo depois da descoberta dos rolos do mar morto, verificou-se que a passagem de 1 Jo 5:7,8 foi adulterada, isto mesmo, tem uma parte que não encontramos nos "originais". Veja: "Pois há três que dão testemunho [no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra]: O Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito." A parte entre colchetes só foi aparecer nas biblias a partir do Concilio de Lantera em 1526. Ela está ausente em 5600 manuscritos. Tenho plena certeza na doutrina da Trindade de Genesis a Apocalípse, porém o versiculo mencionado não é original, foi acrescentado posteriormente. A Palavra de Deus é Imutável, nada se pode acrescentar ou diminuir, porém o texto bíblico está repleto de acrescimos, alguns acidentais, outros propositais. Lembre-se que tudo era copiado a mão, por escribas, que por mais fiéis que fossem poderiam errar. Esse é apenas um exemplo.

      Att

      Lucas

      Excluir
    5. Daniel
      Faço minhas as palavras dos Gideões Internacionais no Brasil, a respeito da Bíblia:

      "A Bíblia contém a mente de Deus, a condição do homem, o caminho da salvação, a condenação dos pecadores, e a felicidade dos cristãos. Suas doutrinas são santas, seus preceitos são justos, suas histórias verdadeiras e suas decisões imutáveis. Leia-a para ser sábio, creia nela para estar seguro e pratique-a para ser santo. Ela contém luz para dirigi-lo, alimento para sustê-lo, e consolo para animá-lo."

      Att

      Lucas

      Excluir
    6. Irmão Lucas, amado, ponderemos...

      Nós, assim como os batistas e outras alas do cristianismo, utilizamos a versão “ARC” (Almeida Revista e Corrigida) por ser a MELHOR versão em língua portuguesa. Tal texto se fundamenta no chamado texto Bizantino, texto que sempre foi utilizado pela Igreja em todos os séculos do cristianismo; o mesmo não se deu com o chamado texto crítico, que tem por base manuscritos pertencentes à “família” alexandrina; aliás, ambiente berço do gnosticismo e cujo ambiente era muito famoso em corromper textos bíblicos, cuja nascente deu à luz várias heresias registradas na história. O que o irmão chama de ‘antigos e melhores’(?), na verdade são corruptos e piores. Os referidos “antigos e melhores” são rejeitados por muitos eruditos e tido por eles como manuscritos corruptos. As traduções modernas da Bíblia tomam por base os manuscritos pertencentes à família “Alexandrina” cujas versões foram defendidas por dois eruditos, “Westcott – Hort”, eruditos que não adotavam a ortodoxia biblicamente cristã. Os textos defendidos inocentemente pelo irmão, são oriundos de manuscritos antigos provenientes de Alexandria – Egito, e deveria saber que CUIDADO REDOBRADO deveria ser tomado com documentos oriundos da igreja no Egito do século II, esta era praticamente dominada pelos gnósticos e seitas diversas:

      “Entre os documentos cristãos que durante o segundo século se originaram no Egito ou lá circulavam entre tanto ortodoxos como Gnósticos, estão numerosos evangelhos apócrifos, atos, epístolas e apocalipses … Há também fragmentos de obras dogmáticas e exegéticas compostas por cristãos alexandrinos, principalmente Gnósticos, durante o segundo século … De fato, baseado nos comentários de Clemente de Alexandria, quase todo o tipo de seita cristã digressiva se representava no Egito durante o segundo século. Clemente menciona os Valencinianos, Basilidianos, Marcionitas, Peratae, En-cratitas, Docetistas, Haimetitas, Cainitas, Ofitas, Simonianos e Eutiquianos. Não se sabe que porcentagem de cristãos no Egito durante o segundo século era ortodoxa.” (Dr. Wilbur Norman Pickering – Qual o Texto Original do Novo Testamento, pág. 73).

      Aliás, há erudito cuja vida foi dedicada somente ao estudo dos manuscritos existentes, o mesmo rejeita os dois manuscritos mais antigos exatamente por um contraditar o outro, são conflitantes e não se sabe qual dos dois está falando a verdade em quase todos os seus versículos. Aliás, há até um “levita” (Aleph) na genealogia de Jesus, presente nos mais antigos... Uma heresia! Tenho ambos os textos para minha pesquisa pessoal, o Crítico e o Receptus.
      Se o amado deseja aprofundar-se por saber desvios das Bíblias modernas que tem por base o Texto Critico (Que se baseiam em manuscritos mais antigos), examine aqui:

      http://www.biblias.com.br/traducoes.asp

      E principalmente, aqui:

      http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-Traducoes/VersoesModernasDaBiblia-Cloud-Livro.htm

      Quanto em a Bíblia "conter a mente de Deus" (...), até parece que o amado andou copiando trechos presente em matéria presente neste blog, sou do mesmo parecer.

      APDD!

      Excluir
    7. Mais uma coisa...

      O irmão fez a seguinte citação:

      "Por exemplo depois da descoberta dos rolos do mar morto, verificou-se que a passagem de 1 Jo 5:7,8 foi adulterada, isto mesmo, tem uma parte que não encontramos nos "originais"."

      Ora, amado, entre os manuscritos do mar morto há algum escrito "neotestamentário"? Os documentos não seriam todos anteriores aos do Novo Testamento?

      E mais, os achados arqueológicos do mar morto são escritos em Hebraico e Aramaico e apenas uns poucos em grego, mas todos aludem apenas ao Antigo Testamento, nenhum aos escritos neotestamentários!

      Então?

      Excluir
  22. Aprecio a Tradução ARC da SBB, porém, como toda tradução ela não está isenta de erros. A ARC se baseia no Textus Receptus de Erasmo, assim como a King James e a Reina-Valera. Erasmo fez um trabalho as pressas e introduziu partes que nunca estiveram no Texto Grego. Acho que o irmão conhece o famoso "COMMA JOHANNEUM" Acrescentado por Erasmo por causa das fortes pressões dos editores da Biblia Poliglota Complutense. Infelizmente este acréscimo permanece até hoje. Muitos atacam ferozmente aqueles que fazem a Crítica Textual porém existiram e existem pessoas sérias desejando melhorar a tradução do Textus Receptus de Erasmo, posso citar Lobegott Tischendorf.

    Sobre a Bíblia CONTER a mente de Deus acho que o irmão está equivocado, pois no próprio comentário acima identifiquei a fonte, peço que verifique. A citação está na contracapa do Novo Testamento editado pelos GIDEÕES INTENARCIONAIS NO BRASIL, se tivesse retirado do blog não exitaria em informar, como fiz em conterários anteriores.

    Att

    Lucas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhuma tradução é infalível, em todo o blog não há comentário algum fazendo apologia à infalibilidade de traduções Bíblicas, não é este o ponto em apreço. As Escrituras são infalíveis apenas nos autógrafos, não há nenhum autógrafo conhecido até hoje! O que temos em mãos são cópias e a inspiração é derivada daquelas - segundo estudiosos.

      Meu querido irmão Lucas...

      O amado mais uma vez está equivocado, Erasmo introduziu o que havia presente, sim, em alguns manuscritos e há forte referência a tal passagem em antigos escritos cristãos. Sobre I João 5.7ss, o amado deveria - por prudência - pesquisar na internet os dois lados da "moeda", veja e examine estes fatos refutatórios minuciosamente, aqui:

      http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/QualBiblia-ParenteseJoanino-Fuller.htm

      O amado possui os textos "Crítico e Receptus" para acompanhar e comprovar o que dizem estudos sobre um texto e outro? O amado lê a Bíblia em Grego e possui bons Dicionários, Léxicos, etc, para argumentar e pesquisar nos próprios materiais disponíveis aquilo que procura defender?

      Eu, amado irmão, além de pesquisar procuro analisar o que eles defendem examinando pessoalmente em ambos os textos, feito a comparação entre um e outro, fico com o que compreendo ser o mais confiável, o Textus Receptus e a melhor tradução disponível em língua portuguesa, a ARC e ACF!

      De fato, o que consta em meu blog sobre o "conter a mente de Deus" não é de minha autoria, são citadas as devidas fontes que fazem referência à devida Bíblia distribuídas por eles.

      Sobre o famoso "COMMA JOHANNEUM", nem eu conheço pessoalmente e tampouco a sua nobre e ilustre pessoa, o que sabemos diz respeito apenas a matérias existentes na Internet que "falam" sobre ela, apenas isso. O estudo apontado por mim no respectivo link, é interessante e deveria ser analisado. Eu sou do mesmo parecer dos autores que a postaram. Sabia que a bíblia das Testemunhas de Jeová se baseiam no que o irmão chama de "antigos e melhores"(?). Os respectivos manuscritos omitem grande número de versículos da Bíblia e vários pontos doutrinários, ortodoxamente falando.

      Deus o abençoe.

      APDD!

      Excluir
  23. Muito boa observação, peço desculpas pelo erro. A passagem de 1 Jo 5:7 foi acrescentada por Erasmo de Roterdã. Creio que vc tem conhecimento deste fato. Comprovado pelos Manuscritos do Sinai.

    P.S Mais informações estão em outro comentário que fiz, que por enquanto não foi publicado.

    Att

    ResponderExcluir
  24. Então meu caro, se nenhuma tradução é infalível, como a Biblia pode SER a Palavra de Deus? Logicamente a mudança no ponto de doutrina é de fundamental relevância, uma vez que as Traduções CONTÊM a Palavra de Deus. A Palavra de Deus contida na Bíblia é que é perfeita.

    Outrossim se a CCB não tinha intenção de mudar o sentido do primeiro ponto, por que o alterou?

    att


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fator "tradução" é mais complexo do que imagina. Quando um tradutor verte escritos de uma língua para outra, há várias problemáticas que surgem - principalmente no Grego - ao se verter para o português, vou citar apenas dois dos mais simples:

      1. O grego Bíblico possui três artigos "he" (feminino) "ho" (masculino) e "tó" (neutro). Em nossa língua não existe um artigo "neutro".

      2. O grego Bíblico possui "allos" (outro = igual) e "heteros" (outro = diferente) que são termos com aplicações distintas. Em nosso idioma possuímos apenas um (1) termo para ambos os vocábulos.

      Pelo uso da língua portuguesa, omite-se o uso do artigo antes dos nomes próprios como o de pessoas, que é comum no Grego koinê a presença do artigo. Há também a preferência teológica do tradutor, pois o mesmo pode ser tentado a traduzir um vocábulo grego para outro de significado distinto na língua portuguesa. O que dizer então das várias omissões de versículos em muitas traduções modernas? Quanto maior o número de traduções disponíveis, maior é a necessidade de se recorrer às cópias dos Originais usadas pela igreja de forma contínua no decorrer da história, isto é, o Texto Majoritário, comumente chamado de Textus Receptus, texto base para a versão ARC.

      Quanto aos rolos do mar morto, apenas serviu para atestar que havia variações de palavras até mesmo nos escritos Hebraicos que conhecemos. Em determinado livro enquanto um verso diz "Adonay" no mesmo verso o texto Massorético diz 'elohîm.

      Ora, nada disso anula as Escrituras de serem a Palavra de Deus, nem mesmo erros de copistas trocando uma letra por outra e as milhares de variações existentes desqualificam a Palavra de Deus. Devemos, sim, estar atentos quanto às omissões doutrinárias e contradições presentes nos dois manuscritos mais antigos, antiguidade não pode ser sinônimo de veracidade ou autenticidade, o que dizer então dos antigos documentos "apócrifos"? São confiáveis e infalíveis por serem antigos? De modo algum, afinal, são repudiados pelos próprios judeus e cristãos, mas aceito pelos católicos.

      Segundo meu entendimento, o sentido do nosso primeiro ponto de doutrina não mudou, pode-se trocar uma palavra por outra e ainda assim conservar o mesmo sentido de antes, prova disso são as referências Bíblicas doutrinárias que foram mantidas.

      Ás vezes, eu mesmo - um exemplo - já fiquei a examinar "milhares" (hipérbole) de vezes meus escritos no livro digital de minha autoria, sempre procurando uma palavra que seja mais fiel às minhas ideias ali transmitidas. Como a alteração de TERMOS - presente no respectivo artigo - não foi feita por mim, apenas posso supor que o mais provável seja a de ser mais fiel quanto possível ao que as santa Palavra fala de si mesma.

      A Palavra inspirada foi inscrita de forma palpável - em pedras, couro e papiro - e mantida para o conhecimento humano, seu conteúdo é santo, sagrado; esta é a crença prescrita nos escritos apostólicos.

      Bem... o tópico não diz respeito ao estudo de Manuscritos. Vamos nos ater ao tópico.

      Deus o abençoe.

      APDD!

      Excluir
  25. Olá, uma dúvida:

    I João 5:7 é considerado parte da Palavra de Deus?

    ResponderExcluir
  26. Irmão Lucas, I João 5.7 não consta na maioria dos Manuscritos existentes, principalmente nos mais antigos, mas se faz presente em alguns mais tardios. Os eruditos, em sua maioria dizem que se trata de um acréscimo feito posteriormente por algum copista. Nós usamos a ARC como Bíblia padrão nos cultos que, por sua vez, deriva do Textus Receptus, texto grego usado por João Ferreira de Almeida em sua tradução para a língua portuguesa.

    No Textus Receptus aparece o respectivo verso de I João 5.7. A maioria dos eruditos não o reconhecem como pertencendo ao Texto Original das Escrituras. Se o amado observar a versão Almeida Revista e Atualizada, verá que vários versículos e palavras são alí omitidos ou estão entre colchetes que, em muitos casos, há dúvidas sobre vários versos ou palavras - entre colchetes - se faziam parte do Texto Grego Original.

    A crítica Textual é uma ciência que compara os milhares de Manuscritos existentes afim de descobrir qual palavra ou verso faziam ou não parte dos Originais. Assim, I João 5.7, ao que parece, se trata de um acréscimo que mais tem a ver com a teologia - professada pelo copista - do que com inspiração em sua originalidade.

    Creio ter sido claro. Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  27. Prezado Irmão, agradeço sua resposta, sendo assim posso afirmar, baseado no comentário acima, que a Bíblia contém a Palavra de Deus, uma vez que também contém a palavra de copistas, como no caso de I Jo 5:7?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Lucas, embora tenha muitos acréscimos e omissões em praticamente todos os Manuscritos, prefiro dizer e tomar a questão do "conter" sobre uma outra ótica.Que as Escrituras "contém" inspiração da Palavra de Deus, para ser mais claro: A BÍBLIA CONTÉM INSPIRAÇÃO DERIVADA DOS ORIGINAIS.

      Somente os autógrafos são inspirados, é o que dizem todos os eruditos, é dito pelo CACP, consta nos ensinos das Assembleias de Deus e consta em obras eruditas.

      “As cópias e as traduções da Bíblia, encontradas no século XX, não detêm a inspiração original, mas contêm uma inspiração derivada, uma vez que são cópias fiéis dos autógrafos. De uma perspectiva técnica, só os autógrafos são inspirados; todavia, para fins práticos, a Bíblia nas línguas de nossa época, por ser a transmissão exata dos originais, é a Palavra de Deus inspirada.” (IBADEP,Teologia, Bibliologia - Reconhecido pelo Conselho de Educação e Cultura da CGADB; pág. 75, 5ª Edição – Fevereiro/2007. Editora Unidade, Paraná, Brasil).

      Portanto, a Bíblia CONTEM a INSPIRADA PALAVRA DE DEUS, ou seja, CONTÉM INSPIRAÇÃO DERIVADA.

      Nossos opositores por falta de conhecimento, apenas vivem "enchendo linguiça", falam com a boca cheia e cabeça vazia. A afirmação acima é ortodoxa e faz parte dos ensinos teológicos.

      Deus o abençoe.

      Excluir
  28. Srs,
    Li o texto e a maior parte dos comentários e creio que o Ministério da CCB foi extremamente INFELIZ por ter promovido tal mudança, não só pela mudança em si, mas principalmente pela maneira com que foi feita, o que pode significar um sinal de que, de fato, estamos vivendo o tempo do fim.

    A frase "Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-La como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo" não só gera polêmica (vide os comentários deste blog), como pode permitir, inclusive, que a CCB seja considerada uma seita diabólica.

    A frase elaborada pelo Ministério atual diz que a Bíblia "CONTEM a Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo", dando margem a pesarmos que nem tudo que está escrito na Bíblia Sagrada é a Palavra de Deus, mas que, mesmo assim, nós cremos, porque cremos na INTEIRA Bíblia.

    Para melhor entendermos a confusão criada pelo Ministério, basta nós consideramos que, segundo o hinário 5, a Bíblia Sagrada (o LIVRO, composto por livros) passou a conter a Palavra de Deus, sendo, somente esta última (a Palavra), inspirada por Deus, e não o LIVRO (que A contem), diferentemente no hinário 4, onde está dito que a Bíblia Sagrada (o LIVRO) é a infalível Palavra de Deus (todo ele inspirado).

    Os dizeres subsequentes, dessa “joia” do Ministério atual, estão relacionados, salvo erro, à Palavra de Deus e não ao LIVRO, pois este não é mais a infalível Palavra de Deus, mas somente A contem.

    Como li no texto, alguém poderia dizer que a inclusão da palavra "contém" tenha ocorrido porque as palavras do diabo, por exemplo, em Gênesis 3:1-5, não foram inspiradas por Deus, e que, por isso, não podem ser chamadas de “Palavra de Deus”.

    Mas isso é um argumento infantil, pois a inspiração, de que falam as Escrituras (II Tim. 3:16-17; II Pedro. 1:20-21; Mat. 5:18), ocorreu na vida daqueles a quem Deus escolheu para escrever as Sagradas Letras, os quais registraram, inclusive, fatos que pessoalmente não presenciaram, mas que verdadeiramente ocorreram (isso é inspiração).

    As palavras do diabo, dos ímpios e dos falsos profetas não foram inspiradas por Deus (nem podiam ser), mas o registro delas o foi, de forma que, a meu ver, a Bíblia Sagrada (o LIVRO) continua sendo, toda ela, inspirada por Deus.

    Essa mudança me cheira mal, pois abre a possibilidade de que alguém (do Ministério), amanhã ou depois, apareça dizendo que recebeu uma revelação de Deus, acerca de parte das Escrituras (um dos livros, por exemplo), em cuja revelação o Senhor o determinou que mudasse ou abandonasse certo preceito (tido, até então, como verdade).

    Para tanto, tal “anjo da igreja” poderia valer-se da justificativa de que a parte, que lhe foi revelada, está no LIVRO (na Bíblia), mas não é a “Palavra de Deus” (não sendo, portanto, inspirada por Deus), tratando-se apenas de uma visão particular deste ou daquele apóstolo (ou profeta), ou algo histórico ou cultural.

    Todavia, se eu digo que a Bíblia (as Escrituras Sagradas) é a Palavra de Deus (2 Tm 3:16), eu elimino qualquer possibilidade de alguém por em dúvida qualquer parte das Escrituras, ou querer, por exemplo, incluir ou excluir este ou aquele livro (ou capítulo, ou versículo, ou palavra).

    Assim sendo, pior do que ser desnecessária, tal mudança pode ser, inclusive, tendenciosa, e pode representar um claro sinal do fim dos tempos, quando a abominação estrará no lugar santo para, possivelmente, mudar os preceitos das Escrituras Sagradas (a Bíblia).

    Deus vos abençoe!!!
    (Obs: vejam os absurdos ditos no seguinte vídeo, relacionado ao assunto: https://www.youtube.com/watch?v=ut4LWudUYUc)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Marcelo Victor

      Também li seu texto acima e suas argumentações sobre o assunto. Com isso, quero dizer que a palavra "contendo" no referido credo doutrinário não altera nossa fé nas Escrituras ou tampouco deixa espaço para sofismas. digo "sofismas", porque os que questionam tal termo talvez façam vista grossa para as referidas fontes remissivas à palavra de Deus. Portanto, o termo "conter" possui sentido diverso daquilo que questionadores opinam... Sem conhecimento de causa.

      Passo a apresentar FATOS que muitos estão acostumados a ler e curiosamente... Não fazem tempestade, vejamos:


      1. "Todas as controvérsias teológicas devem ser trazidas ao tribunal da Palavra escrita de Deus". (IBADEP – Teologia – Bibliologia, pág. 73; 5ª Edição – Fevereiro/2007, Editora Unidade, Paraná, Brasil).

      Com base nessa afirmativa, o que sustento e creio que isso seja do seu conhecimento, é o seguinte: - O conceito tardio que apareceu séculos depois dos apóstolos de que "Bíblia" é palavra de Deus não existe em lugar algum das Escrituras. Jamais é mencionado isso nas Escrituras ou faz parte do Seu ensino. Portanto, não cabe dizer em "mudar preceitos da palavra de Deus" (?) sendo que tal preceito INEXISTE no teor sagrado, tratando-se apenas de conceito e PRECEITO CRIADO POR HOMENS... Não Bíblico. Mesmo assim, não sou ou somos contra ao conceito que permanece e, por assim ser "tradição de homem" foi criado quase 500 anos depois dos apóstolos e transmitido por João Crisóstomo. Os apóstolos do Senhor Jesus, assim como a igreja cristã antes do século IV desconheciam por completo tal ensino, de que "Bíblia" é palavra de Deus. O que digo sobre o quesito "bíblia é palavra de Deus", pode ser confirmado a seguir.

      2. “Foi primeiramente aplicado às Escrituras Sagradas por João Crisóstomo, grande reformador e patriarca de Constantinopla (398-404 d.C.)”. (Gilberto, Antônio. Manual da Escola Dominical – Edição Atualizada – Pela excelência do Ensino da Palavra de Deus; págs.29,30. CPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil).

      Portanto, prezado amigo. Quem primeiro aplicou o conceito "bíblia é palavra de Deus" foi o padre João Crisóstomo que viveu vários séculos depois dos apóstolos. Não se deve transferir para dentro das Escrituras algo que ela mesma não afirma ou ensina.

      O amado não está defendendo um ensino das Escrituras, mas uma tradição que nasceu e se espalhou através de João Crisóstomo. Faça um exame de DNA e verá que ele é o pai dessa doutrina. Nessa direção, como condenar a chamada igreja Romana de seguir tradições extra-bíblicas, sendo que o evangelismo atual também tem as suas?

      Para entender o que escreveram os autores secundários das Escrituras, não podemos nos valer de expressões desconhecidas por eles que, em matéria de fé, não se firma na IMUTÁVEL palavra de Deus. Não me venha com 2 Tm 3:16, pois ali não diz que "bíblia é palavra de Deus". O texto diz que palavra de Deus é o ESCRITO na Bíblia. O conceito atual que se tem difere do que realmente consta nas Escrituras. Ela não transmite tal ideia.

      3. “O termo Bíblia não existe no texto das Sagradas Escrituras. O vocábulo “Bíblia” significa coleção de livros pequenos e deriva da palavra “biblos”, nome dado pelos gregos à folha de papiro preparada para a escrita.” (IBADEP – Teologia – Bibliologia, pág. 14, 5ª Edição – Fevereiro/2007, Editora Unidade, Paraná, Brasil).

      Entre os gregos, confeccionava-se rolos (biblia) do papiro e vendia-se nos mercados. Sendo ainda completamente virgem, sem nada escrito neles, eram chamados de "bíblia" (rolos, livros). A palavra de Deus foi escrita em vários materiais, e cito a "pedra", onde Deus escreveu seus mandamentos em duas "tábuas de pedra". Pergunto: O que era palavra de Deus, as "tábuas de pedra" ou o que se achava escrito nelas? O significado atual é de que bíblia é palavra de Deus, um significado herdado de João Crisóstomo que levado para dentro das Escrituras... É completamente espúrio, ilegítimo.


      Excluir
    2. 4. “As cópias e as traduções da Bíblia, encontradas no século XX, não detêm a inspiração original, mas CONTÊM uma inspiração derivada, uma vez que são cópias fiéis dos autógrafos. De uma perspectiva técnica, só os autógrafos são inspirados; todavia, para fins práticos, a Bíblia nas línguas de nossa época, por ser a transmissão exata dos originais, é a Palavra de Deus inspirada.” (IBADEP,Teologia, Bibliologia - Reconhecido pelo Conselho de Educação e Cultura da CGADB; pág. 75, 5ª Edição – Fevereiro/2007. Editora Unidade, Paraná, Brasil).

      Nunca vi UM assembleiano ou qualquer outro evangélico reprovar as Assembleias de Deus por ensinar em seus livros de teologia que a Bíblia CONTÊM inspiração derivada... CONTÊM!

      Posso supor que o que realmente importa e procurar contestar a Congregação Cristã no Brasil, ainda mesmo que tal ensino possa estar no umbigo de cada uma das suas igrejas.

      Tudo o que escrevi acima, questionando seu ponto de vista, é apenas um outro lado da "moeda". Nosso artigo de fé examinado com as referidas fontes bíblicas remissivas não permite o que o nobre amigo incute em seu comentário, afinal texto sem contexto é pretexto para heresia, diz sábio ditado corrente entre estudiosos de teologia. Examine as fontes. O real sentido de uma palavra é determinada pelo contexto, apenas quando as fontes remissivas são negadas e postas de lado, entra a imaginação fértil e mirabolante.

      Apenas para meditar:

      “A Bíblia CONTÉM a mente de Deus, a condição do homem, o caminho da salvação, a condenação dos pecadores, e a felicidade dos cristãos. Suas doutrinas são santas, seus preceitos são justos, suas histórias verdadeiras e suas decisões imutáveis. Leia-a para ser sábio. Creia nela para estar seguro e pratique-a para ser santo. Ela CONTÉM luz para dirigi-lo, alimento para sustentá-lo, e consolo para animá-lo.
      É o mapa do viajante, o cajado do peregrino, a bússola do piloto, a espada do soldado e o guia do cristão. Por ela o paraíso é restaurado, os céus abertos e as portas do inferno descobertas.
      Cristo é o seu grande tema, nosso bem o seu intento, e a glória de Deus a sua finalidade. Deve encher a mente, governar o coração e guiar os pés. Leia-a lenta e frequentemente e em oração. É uma mina de riqueza, um paraíso de glória e um rio de prazer. É-lhe dada em vida, será aberta no dia do julgamento e lembrada para sempre. Ela envolve a mais alta responsabilidade, recompensará o mais árduo labor e condenará a todos quantos menosprezam seu sagrado CONTEÚDO.” (Novo Testamento – Salmos – Provérbios. Os Gideões Internacionais no Brasil, Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, Campinas – SP, Brasil). – A ênfase é minha.

      Vai questionar os Gideões Internacionais e acusá-los como acusam a CCB?

      Será que é preciso eu explicar o que vem a ser o “contém a mente de Deus", ou ainda "contém luz para dirigi-lo” e... “sagrado conteúdo”? – Para um bom entendedor, nada mais precisa.

      Pensem nisto!

      Se ainda pairar dúvidas sobre o que penso sobre o termo "conter", apresento duas matérias para estudo:

      http://apologiadidacheccb.blogspot.com.br/2013/03/o-dever-de-todo-bereano.html

      http://apologiadidacheccb.blogspot.com.br/2013/03/o-dever-de-todo-bereano.html

      Deus abençoe

      Excluir
    3. http://apologiadidacheccb.blogspot.com.br/2013/03/jesus-e-palavra-da-vida-eterna-ou.html

      Excluir
  29. A paz de Deus irmão, gostei muito deste texto um luz da verdade.

    Eu acho que o segundo ponto de doutrina não deveria ter mexido, tirou as três pessoas distintas para colocar ESTÃO....Mas creio que vai voltar na convenção de 1948, dessa forma o segundo ponto vai retornar como era dantes se Deus quiser...Assim disse um Ancião, vamos esperar. Deus abençoe irmão!!!!

    ResponderExcluir
  30. Caro,
    O problema està na interpretaçao da expressao "Biblia Sagrada". O que è Biblia Sagrada para voce?

    A meu ver, Biblia Sagrada nao è o conjunto formado por capa+preambulo+dedicatoria+blà-blà-blà (da Sociedade Biblica Brasileira)+Escritos Sagrados+contracapa.

    A expressao Biblia Sagrada, para mim, è apenas o conjunto de Escritos Sagrados, estejam eles registrados em papel, papiro, tàbua de pedras, tàbuas de madeira, parede, tela de computador, etc...

    Para elucidar o que digo, eu pergunto-lhe: quem foi que contou para Moisès (o provàvel escritor do Pentateuco) que a serpente disse para Eva aquela baita mentira? Resposta: foi o Espirito Santo de Deus, ou seja, a boca de Deus, pois o Espirito Santo è Deus (e Deus è Espirito). Logo, o que està registrado nos Escritos Sagrados (a Biblia) è a propria Palavra de Deus, entendeu?

    Jesus disse (a boca de Deus disse) que Ele è a VERDADE. A Biblia (o conjunto de Escritos Sagrados) diz que Jesus è a Palavra de Deus. Assim sendo, se tudo que està escrito no conjunto de Escritos Sagrados è a VERDADE (pois veio do Espirito de Deus), consequentemente a Biblia Sagrada nao è nada mais nada menos do que a veraz Palavra de Deus (toda Ela).

    Por isso è que se trata de um erro, a meu ver, dizer que a Biblia (o conjunto de Escritos Sagrados) contem a Palavra de Deus, porque Ela è a propria Palavra de Deus, contendo, isso sim, o pensamento de Deus, o poder de Deus para salvaçao daquele que cre, etc...

    Alguèm poderia dizer: "mas isso è irrelevante". Todavia, os pontos de doutrina mostram o que determinada instituiçao acredita e o que ela realmente è, ainda mais se considerarmos que os fieis dessa igreja a consideram como a Graça do Filho de Deus, movida pelo Espirito de Deus (sem erros doutrinàrios).

    Se fosse irrelevante (ou apenas um jogo de palavras), o que dizer, entao, da mudança das palavras da santa ceia, em cuja celebraçao nao se pode dizer mais que o pão "simboliza" o corpo de Cristo, mas sim que ele "è" o proprio corpo de Cristo?

    Isso tambem nao parece ser irrelevante? Ou serà que a pàscoa judaica è a propria saida do povo de Deus do Egito e nao uma simbologia daquele evento?

    A meu ver, mais grave do que esse erro de interpretaçao (da expressao Biblia Sagrada) è o que està escrito no ponto de doutrina numero 11, pois tal ponto contem um acrèscimo de uma expressao que nao pertence à Biblia Sagrada.

    Estou me referindo à expressao "antes do milenio". Essa expressao foi acrescentada a um versiculo biblico e faz da CCB uma instituiçao religiosa prè-milenista (doutrina que apresenta uma sèrie de objeçoes).

    O que me deixa mais perplexo nesse ponto de doutrina nao è propriamente o possivel erro doutrinàrio, mas, principalmente, o acrèscimo de uma expressao à Palavra de Deus, o que pode redundar em uma sentença terrivel: "...se alguèm lhes acrescentar alguma coisa, Deus farà vir sobre ele..." Ap 22:18.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Marcelo Victor...

      Nem sequer mencionou ou questionou o ensino dos livros teológicos das assembleias de Deus de que as Escrituras "CONTÉM" INSPIRAÇÃO DERIVADA dos originais, etc.

      Foi esquecimento, ou vista grossa? Deus o sabe.

      Marcelo Victor citou: "Para elucidar o que digo, eu pergunto-lhe: quem foi que contou para Moisès (o provàvel escritor do Pentateuco) que a serpente disse para Eva aquela baita mentira? Resposta: foi o Espirito Santo de Deus, ou seja, a boca de Deus, pois o Espirito Santo è Deus (e Deus è Espirito). Logo, o que està registrado nos Escritos Sagrados (a Biblia) è a propria Palavra de Deus, entendeu?"

      Minha resposta: Você se esquece que o que é inspirada Palavra de Deus nesse texto se restringe apenas ao REGISTRO DA MENSAGEM, e não a MENSAGEM DO REGISTRO... São coisas distintas. Exaustivamente expliquei isso em minha matéria, parece que não leu.

      Vejamos o que você questiona:

      "A meu ver, Biblia Sagrada nao è o conjunto formado por capa+preambulo+dedicatoria+blà-blà-blà (da Sociedade Biblica Brasileira)+Escritos Sagrados+contracapa. A expressao Biblia Sagrada, para mim, è apenas o conjunto de Escritos Sagrados, estejam eles registrados em papel, papiro, tàbua de pedras, tàbuas de madeira, parede, tela de computador, etc..."

      Se não sabe, em meu questionamento anterior apresentei o pensamento antigo e não atual da referida expressão, no tempo dos apóstolos nem existia tal expressão. O sentido atual é completamento espúrio quando observado dentro das Escrituras... Inexiste essa expressão.

      Se a expressão "antes do milênio" é tida por você como sendo algo acrescentada a um versículo bíblico", se esquece que do mesmo modo acontece com a expressão "Bíblia Sagrada" ou "Bíblia é a Palavra de Deus" sendo um acréscimo às Escrituras... Redundando numa "sentença terrível" (segundo você) conforme Ap 22.18. Seu silogismo equivocado é um tiro de canhão no próprio pé!

      O que dizer do termo "simbolismo" (embora cremos que seja) que também inexiste nos textos da Ceia? (Idem).

      Dizemos que "é" o corpo de Cristo conforme diz o texto, mas entendendo que "é" - como simbolismo - e não "o próprio" (???) porque o contexto deixa subentendido. Na Ceia, se diz que é simbolismo, basta observar a oração quando se ora pelo pão dando graças pronuncia-se que depois de dar graças "simboliza o corpo de Cristo."

      Não fazemos gravações da Ceia, mas vou gravar a próxima e mostrar para o prezado que sua alegação não condiz.

      A expressão "antes do milênio" é subentendido, e de igual modo não está escrito literalmente como as que você defende.

      Há objeções, também, para outras formas de crer, basta examinar "Teologia Sistemática" do erudito Louis Berkhof... Mas é assunto que foge do tópico (artigo primeiro), vamos nos ater ao tema, ok?

      Deus abençoe.


      Excluir
    2. Marcelo Victor, onde você serve a Deus, nas Assembleias de Deus, Batista, Presbiteriana, Metodista ou Luterana?

      Uma curiosidade minha.


      Excluir
    3. Ao servo de Deus nao convem contender, por isso deixei minhas contribuiçao, para reflexao, e nao vou entrar em polemica.
      Todavia, apenas para que os leitores entendam melhor minha posiçao, eu acrescento a seguinte fala:
      1- Quem è a primeira pessoa do discurso (no pentateuco)? O Senhor Deus, claro.
      2 - Quem è a segunda pessoa do discurso? Moisès, lògico.

      Ou seja, o Senhor Deus (a primeira pessoa) falava a Moisès (a segunda pessoa) de uma terceira pessoa (o diabo), contando-lhe o que tal ser dissera.
      Assim sendo, nao me resta duvida nenhuma que tal acontecimento, narrado por Deus, continua sendo Palavra de Deus.
      Essa teoria de mensagem de registro e registro de mensagem, a meu ver, trata-se de uma artimanha para confundir ainda mais a cabeça das pessoas.
      Outrossim, veja como os pontos de doutrina sao importantes, pois a duvida do caro amigo è a qual instituiçao pertenço, logicamente para saber minha corrente doutrinaria.
      Deus vos abençoe!!!

      Excluir
    4. Caro,
      Voce nao entendeu quando eu disse que a expressao "antes do milenio" foi acrescentada em um versiculo biblico.
      Eu nao estava falando do uso, pelo ministerio da CCB, de um termo que nao existe nos escritos Sagrados, o que, de fato, è uma verdade.
      Mas, sim, do acrescimo de uma expressao que nao faz parte do versiculo de 1 Ts 4: 16,17, fazendo da CCB uma instituiçao pre-milenista.
      Mas o curioso è que voce tocou em outro ponto com implicaçao doutrinaria, pois, alèm de fazer um acrescimo, o ministerio da CCB usou uma expressao que nao consta dos Escritos Sagrados.

      Excluir
    5. Se o prezado marcelo victor, não observou, trato desse assunto e explico detalhadamente sobre o registro da mensagem feita por Moisés (logicamente inspirado por Deus), e a mensagem que o registro traz.

      Como você mesmo diz, "ao seu ver" é uma artimanha, talvez diga isso por falta de estudo bibliológico. O registro de tudo quanto encontra escrito na Bíblia é palavra de Deus, o mesmo não é dito acerca da mensagem que o registro traz... Parece que não te ensinaram isso na escolinha dominical.

      Sobre minha indagação, perguntei a qual instituição serve a Deus exatamente porque seu argumento é pessoal e pode não refletir e ir contra o ensino de sua própria instituição.

      Não há porque omitir e se esquivar de dar a resposta, afinal, creio que não sinta vergonha alguma de pertencer à instituição que até o momento se esquivou em dizer o nome... Muito estranho querer ocultar (risos).

      Estou liberando seus escritos conforme o tempo que tenho em respondê-las. Amanhã liberarei outra com a devida resposta minha.

      Insisto: Em qual instituição religiosa serve a Deus?

      Excluir
  31. Caro,
    Outra observaçao a respeito da sua fala.
    Voce disse que a expressao "antes do milenio" està subentendida.
    Està subentendida pra voce que deve ser pre-milenista, mas nao pra mim, e, como voce gosta de recorrer à teologia (o que è bom a meu ver), indico-lhe o video https://www.youtube.com/watch?v=aumb1E_mBIo.
    Todavia, o que me chamou a atençao nesse ponto de doutrina da CCB nao foi a inexistencia, nas Escrituras, da palavra MILENIO, pois cada igreja assume a posiçao que quiser.
    O que eu quis que os leitores atentassem è para o acrèscimo de uma expressao em um versiculo das Escrituras Sagradas...um erro, segundo as proprias Escrituras.
    Salve!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como o tópico não condiz com o artigo 11, mas ao 1 dos nossos 12 pontos básicos de fé e doutrina... Mesmo assim me disponho a responder:

      Quando digo "subentendida" é porque o artigo 11 da nossa fé sobre "antes do milênio" é remissivo para Apocalipse 20.6 e não "1 Ts 4.16, 17" como o caro interlocutor erroneamente procura incutir.

      Vejamos:

      "Vi tronos em que se assentaram aqueles a quem havia sido dada autoridade para julgar. Vi as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus. Eles não tinham adorado a besta nem a sua imagem, e não tinham recebido a sua marca na testa nem nas mãos. Eles ressuscitaram e reinaram com Cristo durante mil anos. "

      Como se pode ver, antes de reinar o texto fala de ressurreição e somente depois fala de "mil anos". O que é MILÊNIO senão um período de mil anos? Como se pode ver, nada há de acréscimo em nosso artigo, tratando apenas de silogismo equivocado do nobre interlocutor exatamente por manusear mal um dicionário. Mil anos ou milênio é trocar seis por meia dúzia... Dá no mesmo.

      Procure ter em mãos dicionários de língua portuguesa e verá que um termo ou outro dá no mesmo. Vamos atentar ao artigo primeiro, matéria e assunto do tópico.

      Excluir
    2. Agredeço pelas palavras elogiosas de alguem que parece estar, de fato, preparado para possuir um blog, onde pessoas de diferentes posiçoes podem acessar e postar comentarios.
      Quem possui um blog, necessariamente deve ser educado e ter capacidade para ser posto em xeque sobre determinada opiniao que publicou...se nao tiver, è bom que nem tenha um.

      Acrescentar algo às Escrituras, significa introduzir algo que as Escrituras nao dizem...exatamente como parece ser o caso do ponto de doutrina n° 11 da CCB, pois, como disse, anteriormente, a expressao "antes do MILENIO" nao existe no versiculo usado, literalmente, para embasar tal ponto doutrinario.
      Como prova disso, o ministerio da CCB declara-se reu confesso, pois a expressao citada està entre parentesis, o que nos faz entender, exatamente, que ela foi propositadamente acrescentada ao texto biblico.

      Mas...creio que isso nao seja, de fato, um problema para a grande maioria dos integrantes do proprio ministerio da CCB, pois, pelo que parece, a maioria nao soube nem mesmo que os topicos de doutrina seriam mudados...que dirà conhecer as concepçoes doutrinàrias?

      Talvez isso seja uma bela advertencia para os pos-milenistas e para os amilenistas que o melhor que eles fazem è procurar outra igreja, pois a CCB è pre-milenista. O mesmo ocorre com relaçao aos que acreditam que a Biblia è a infalivel Palavra de Deus (como eu)...esses que se virem!!!

      Finalizo, parafraseando o Bispo Ildo Mello, a quem admiro, embora nao pertença ao seu grupo religioso: "Não devemos usar a Bíblia para defender nossas pressuposições, devemos permitir que a Bíblia fale por si mesma".

      Excluir
    3. Bem, o nobre palestrante insiste em seu errôneo questionamento sobre a expressão "antes do milênio" não ser ensino das Escritura, talvez diga isso porque sua Bíblia deve estar faltando página, por certo.

      Vejamos o que diz nosso artigo 11:

      "Nós cremos que o mesmo Senhor (antes do milênio) descerá do céu com alarido, com voz de arcanjo e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. (I Tessalonicenses, 4:16-17; Apocalipse, 20:6).

      Nota-se pelo seu questionamento anterior, você disse a expressão "antes do milênio" não consta em 1 Ts 4:16,17, sendo um acréscimo (segundo você). Como é de costume daqueles que nos criticam, nem sequer teve o trabalho de examinar a referência citada em nosso artigo 11, sobre "APOCALIPSE 20:6"!!!

      Porque não citou, amigo? Simplesmente porque sua acusação é ]DESMENTIDA CATEGORICAMENTE! Pois a citação de Apocalipse 20:6 diz que a ressurreição se dá antes do MILÊNIO (período de mil anos).

      Quem irá ressuscitar os mortos, senão o Senhor em Sua vinda?

      "Vi tronos em que se assentaram aqueles a quem havia sido dada autoridade para julgar. Vi as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus. Eles não tinham adorado a besta nem a sua imagem, e não tinham recebido a sua marca na testa nem nas mãos. Eles ressuscitaram e reinaram com Cristo durante mil anos." (Apocalipse 20.6).

      O artigo 11 aponta em sua fonte remissiva para o texto acima, prova cabal das Escrituras que seu questionamentos se desfaz como palha ao cheiro do fogo.

      Assim, após a ressurreição a Escritura fala que os ressuscitados irão reinar "mil anos" (milênio). Claro, pois, está que o Senhor virá "antes do milênio" efetuar a ressurreição, somente DEPOIS se dará o reinar de "mil anos" (MILÊNIO). Até um neófito em escolinha dominical não deixa escapar o óbvio. A questão que observo, é que você não sabe que "mil anos" é o mesmo que dizer "milênio".

      Declara-se réu confesso mediante as Escrituras o nobre palestrante, pois OMITIU a citação que nosso artigo 11 faz de Apocalipse 20:6! Omitir do nosso artigo de fé 11 a citação de Apocalipse 22.6, nada mais é do que uma acusação desonesta exatamente por fazer vista grossa às afirmações da mesma.

      Eu, pelo menos, não uso a Bíblia para defender "suposições", pelo contrário, deixo os textos da Bíblia falarem por si mesmo. Agora, você não pode dizer a mesma coisa, pois além de usar a Bíblia erroneamente para defender sua acusação contra nós, DEIXOU DE CITAR o nosso artigo 11 por INTEIRO, omitindo a referência Apocalipse 20:6!

      O que observo, é que o amigo faz uso da erística, argumento sofista que tende vencer um debate a qualquer custo, nem que para isso faça uso da omissão, coisa que vem fazendo até o presente momento. Assim, deixe de lado seu conceito pessoal, permitindo que a Bíblia "fale por si mesma", conforme Apocalipse 20:6.

      Fiat Lux!

      Excluir
  32. Srs,
    Espero que o autor deste blog seja honesto ao ponto de publicar tambem os comentarios que nao estao de acordo com sua meneira de ver o mundo.
    Como me foi solicitado, pelo dono deste blog, algum texto biblico que confirmasse que a Biblia Sagrada è a Palavra de Deus, segue uma materia que encotrei a respeito desse tema:
    "A Bíblia É Palavra de Deus. Dizer que ela meramente "contém" a Palavra de Deus é desprezar a inspiração das Sagradas Escrituras e transformar o homem em juiz da Palavra ao invés de aceitar a Palavra como aquela que discerne os corações. O fato de alguns não entenderem ou aceitarem a Palavra de Deus os leva a criar a ideia de que a Bíblia "contém" a Palavra de Deus.
    O argumento a favor dessa ideia é que na Bíblia encontramos palavras de homens e até de Satanás, mas os que assim argumentam estão perdendo de vista que foi Deus quem nos revelou quais foram essas palavras ditas por terceiros, portanto o documento continua sendo (e não meramente contendo) a Palavra de Deus.
    A ideia é tão absurda quanto comprar um imóvel recebendo apenas um documento que "contém" a escritura, ou seja, uma descrição do terreno, ao invés de exigir a própria escritura de propriedade do terreno. O poder de um documento que "contém" a Palavra de Deus não é o mesmo de um que seja efetivamente a própria Palavra emitida por Deus, mesmo que Ele tenha feito isso através de suas criaturas. Veja o que o próprio Jesus diz de TODAS as Escrituras (no caso o Antigo Testamento):
    Luc 24:44-45 E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos. Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.

    Aqui ele chama a lei, os profetas e os Salmos de "as Escrituras". Ele disse que esses livros SÃO as Escrituras, não que CONTÉM as Escrituras, e obviamente "Escrituras" aparece como sinônimo da Palavra de Deus. Mas onde Jesus chama de Palavra de Deus as Escrituras? Ao referir-se aos mandamentos ele disse:

    Mar 7:13 Invalidando assim A PALAVRA DE DEUS pela vossa tradição, que vós ordenastes.

    A Palavra de Deus chega até nós na forma escrita e é sancionada pelo próprio Senhor, que considerava TODAS as Escrituras do Antigo Testamento ("a lei de Moisés, os profetas e os Salmos") como a Palavra. Ele nunca disse que esses livros "continham" a Palavra, mas que eram a Palavra.

    Abra no primeiro livro de Moisés, o Gênesis, e você encontrará uma mentira de Satanás dita a Eva. Seria a mentira de Satanás a Palavra de Deus? Não, mas o registro que Deus faz da mentira de Satanás é a Palavra de Deus. Caso contrário, como poderíamos acreditar no testemunho de Deus de que Satanás mentiou para Eva se colocássemos em dúvida o relato do jardim do Éden inspirado por Deus para que fosse registrado por Moisés?
    Antes que alguém pense que apenas o Antigo Testamento tenha esse caráter de Palavra de Deus ou Escrituras, é bom ler 2 Pedro onde o apóstolo menciona os escritos de Paulo e os coloca no mesmo nível das demais escrituras. Portanto da próxima vez que escutar alguém dizer que algo nas cartas de Paulo é mera opinião pessoal do apóstolo é bom ficar longe dessa pessoa, pois ela não crê na autoridade da Palavra de Deus.
    Continua...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O caro correspondente falou, falou e acabou andando em círculo parando no mesmo lugar de antes. O texto que postou acima apenas defende uma expressão extra bíblica. que as ESCRITURAS em sua totalidade é a infalível palavra de Deus é caso resolvido e indiscutível... Ninguém está negando isso e nosso artigo de fé de modo algum nega essa doutrina.

      Refiro-me apenas ao conceito criado por João Crisóstomo cerca de 500 anos depois dos apóstolos ao transformar o vocábulo "Bíblia" como sinônimo de palavra de Deus. Nada melhor do que um exame de DNA para saber quem é o pai, e lhe digo com segurança que tal ideia não procede das Escrituras.

      Nem Moisés, nem os profetas, nem Jesus e nem os apóstolos disseram ou ensinaram que "Bíblia" seja palavra de Deus.

      Meu amigo... Não sou contra tal uso quando aplica-se o termo como referência nos dias atuais referindo-se às Escrituras. Contesto apenas quando analiso à luz das Escrituras, pois tal conceito inexiste, sendo apenas uma aplicação ARTIFICIAL criada por homens para se referir à palavra de Deus.

      O nobre interlocutor não vai chegar a lugar algum, biblicamente falando. Se voltar no tempo irá parar em João Crisóstomo quando a tal aplicação, pois inexiste na doutrina e ensino dos apóstolos... Creio que fui claro demais.

      Se não prestou atenção, eu apenas mostrei várias facetas sobre o assunto, todas elas correspondendo a uma verdade única.

      Ninguém aqui está questionando autoridade da palavra de Deus... Hehehehehe

      Que coisa... (risos).

      Excluir
  33. Continuaçao...
    2 Pe 3:15-16 ...como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; Falando disto, como EM TODAS AS SUAS EPÍSTOLAS, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e IGUALMENTE AS OUTRAS ESCRITURAS...

    Se a Bíblia meramente "contém" a Palavra de Deus, e não é toda ela a Palavra de Deus, então qual parte é e qual parte não é? Obviamente os homens gostam da ideia de poder julgar a Bíblia e dizer "Isto é opinião de Paulo..." ou "Isto não se aplica a mim...". Além disso, como poderíamos dizer que a Palavra de Deus tem poder sem saber exatamente que palavra seria esta? Será que poderíamos atender à ordem de pregar a Palavra se ficássemos na dúvida do quê exatamente pregar? Afinal, João 3:16 é a Palavra de Deus ou a a palavra de João simplesmente repetindo o que ouviu dizer que Jesus teria dito a Nicodemos? Percebe o problema que se cria ao se colocar em dúvida um documento?
    Portanto é preciso que o verdadeiro crente em Jesus tenham bem claro em sua mente que a Bíblia, isto é, o conjunto dos 66 livros inspirados que temos em mão, É A PALAVRA DE DEUS e não apenas reúne PALAVRAS DITAS POR DEUS ou CONTÉM A PALAVRA DE DEUS. Se tomarmos a Bíblia da forma como querem os que acreditam que ela apenas contém a Palavra de Deus esse livro deixará de ter qualquer autoridade sobre nossa vida, pois estaremos na confortável posição de poder selecionar o que vale e o que não vale para nós, tornando-nos juízes de Deus e não o contrário. Iríamos obedecê-la só quando nossa vontade coincidisse com ela.
    Uma das grandes provas de ser a Bíblia a Palavra de Deus e não dos homens que Deus usou para escrevê-la é que o Antigo Testamento apresenta uma horrível coleção de erros e pecados do próprio povo que durante séculos foi o guardião dessa mesma Palavra, o povo de Israel. Se fossem palavras de homens eles teriam sido os primeiros a filtrar tudo o que lhes fosse contrário, deixando apenas aquilo que eles "considerassem" Palavra de Deus e não comprometesse a reputação daquele povo.
    O mesmo pode ser dito dos apóstolos, que escreveram o Novo Testamento e são neles despidos de qualquer honraria humana, pois encontramos nos evangelhos, em Atos e nas epístolas muitos dos erros e falhas desses mesmos apóstolos e discípulos de Jesus. Por que eles não teriam suprimido essas partes desagradáveis como meros relatos incidentais e não como a fidedigna, inerrante e imutável Palavra inspirada por Deus?
    Você disse que sua denominação acaba de mudar a declaração de fé, alterando de "...a Bíblia É a Palavra de Deus..." para "...a Bíblia CONTÉM a Palavra de Deus...". Não é de surpreender que tenham feito isso, pois a cristandade como um todo caminha rumo à apostasia, que é o abandono da verdade, e obviamente isto está sendo feito em doses homeopáticas, uma mudança a cada dia, para que o engano possa ser assimilado por aqueles que seguem suas doutrinas. O que fazer num tempo de apostasia e erro? Apartar-se de toda iniquidade, e quando a Palavra de Deus fala de iniquidade, é bom lembrar que não existe maior iniquidade do que o abandono da verdade das Escrituras.

    por Mario Persona

    ResponderExcluir
  34. Caro professor,
    Voce parece ignorar tambem o que os outros dizem e focar em alguns detalhes que lhe interessam.
    Como eu tambem ja disse, o que vem do Espirito de Deus è Palavra de Deus e nao do homem e nem do diabo.
    Se foi o Espirito de Deus que contou para alguem algo, logo foi a boca de Deus que falou, e, portanto, è PALAVRA DE DEUS. O que passar disso tem procedencia maligna.
    Se voce tem fè, ore a Deus e Ele te falarà de onde vim e para onde vou...e o que Ele te falar, pode escrever, pois è Palavra de Deus, mesmo se Ele te disser que o diabo està falando algo!!!
    Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir
  35. Caro professor,
    Encerro minha participaçao em seu blog com a seguinte pergunta (responda se quiser): Pra voce, quem è o autor da Biblia?
    Se disser que foi fulano, beltrano e ciclano, muito bem. Entao, de fato, voce tem razao de pensar como pensa e ponto final (fique voce com os seus botoes).
    Mas se voce disser que o autor da Biblia è Deus, entao pare de perder tempo com palavras vas.
    Quando alguem escreve um livro (mesmo que seja ditando para outro escrever), as palavras que estao nele, mesmo que sejam ditas por um personagem, sao palavras do autor (e nao do personagem e nem mesmo de quem escreveu, se o autor ditou).
    Seja feliz nos seus estudos!!!

    ResponderExcluir
  36. Nobre Daniel,
    Salvo erro, dois textos biblicos sao bastante claros e nos provam que tudo que consta na Biblia (o conjunto de Escritos Sagrados) è verdadeiramente a infalivel Palavra de Deus:

    1 - Hebreus 1:1 "Havendo Deus antigamente FALADO muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, PELOS PROFETAS, a nòs FALOU-NOS nestes ultimos dias pelo Filho...".

    Mediante essa verdade absoluta, eu pergunto: de que forma Deus FALOU à humanidade antes da vinda de Cristo? Nao foi atravès das manifestaçoes divinas que redundaram nos ESCRITOS dos profetas Moisès, Josuè, Davi, etc?

    Resposta: SIM!!!

    Todavia, se julgarmos que "Palavra de Deus" è somente as palavras que sairam diretamente da Sua boca, entao, parece-me que o livro de Hebreus esta equivocado, pois somente Moisès parece ter ouvido a voz de Deus pessoalmente.

    De sorte que o versiculo em pauta deveria trazer a expressao: "pelo profeta" (por Moisès somente) e nao "pelos profetas".

    Para os dias dos apostolos, as Escrituras afirmam que Deus tambèm FALOU com a humanidadem, mas, desta feita, atraves do Filho.

    Mas, como Deus FALOU atraves do Filho?
    Resposta: pelas Palavras e obras boas de Jesus Cristo, e, tambem, pelas palavras e obras màs, dos homens maus, que queriam mata-lo e destruir a Obra de Deus, igualmente registradas nas Escrituras.

    Como Deus pode FALAR com a humanidade pelas obras màs de alguèm?

    Resposta: as obras boas de Jesus Cristo testificam do BEM (FALAM do bem) e as obras màs, dos homens maus, testificam do MAL (FALAM do mal).

    A partir do momento em que ambas foram registradas em livros, formou-se a Biblia (o conjunto de Escritos Sagrados), tambem chamada de a "PALAVRA de DEUS", cujo significado è, exatamente, o seguinte: DEUS FALANDO COM A HUMANIDADE (de varias maneiras e formas).

    Alem das palavras e condutas, as Escrituras ainda nos revelam que hà outra forma do Senhor Deus FALAR com a humanidade, sem usar-se propriamente das palavras e das obras dos homens, qual seja: atraves da propria criaçao, conforme At 14:17 e Salmo 19:1-3.

    Por isso, parece ficar claro que devemos crer que TUDO que està resgistrado no VT biblico è a infalivel Palavra de Deus.

    Continua.....

    ResponderExcluir
  37. Continuaçao...

    2 - João 16:13 diz: “Quando vier, porém, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; porque não FALARà por si mesmo, mas DIRà tudo o que tiver ouvido e vos ANUNCIARà as coisas que hão de vir”.

    Pergunto: esse versiculo nao è uma prova concreta de que o conjunto de Escritos Sagrados do NT foram FALADOS pelo Espirito Santo (por Deus) aos seus escritores?

    Alèm disso, se seguirmos o mesmo raciocinio da analise do versiculo anterior, poderiamos dizer que Deus tambem FALOU no NT, atravès de palavras e obras (nao so as boas, como tambèm as màs).

    Para resumirmos entao este assunto, acerca da Biblia (como sendo, TODA ELA, a infalivel Palavra de Deus), poderiamos levantar as seguintes questoes:
    1 - Porque nòs acreditamos que o diabo, em Gn 3, falou o que està registrado nas Escrituras? Quem nos garante que ele disse aquilo?

    2 - O que fariamos se alguem ou o proprio diabo dissesse que as palavras atribuidas à serpente, em Gn 3, nao correspondem à VERDADE, ou seja, que a serpente nao falou aquilo que està escrito?

    Resposta: nòs so acreditamos que as palavras das Escrituras (inclusive as palavras do diabo) sao a mais pura VERDADE, e que tudo aconteceu exatamente do jeito que està registrado, exatamente porque TODA a BIBLIA è a infalivel PALAVRA de DEUS (ou seja, è Deus falando com a humanidade).

    Assim sendo, a Biblia Sagrada foi escrita por Deus, atraves de santos homens que Ele proprio escolheu.

    Por isso , nao tenho a menor duvida de que Deus (Pai, Filho e Espirito Santo) è o autor da Biblia (o conjunto dos Escritos Sagrados) e que tudo que està ali registrado è VERDADE (falada pelo proprio Deus).

    Finalizando o raciocinio, outro ponto a se considerar, è que, como um eximio professor, o Senhor Deus, didaticamente, nos revela sua maestria em ensinar a humanidade, fazendo-o atravès de exemplos (bons e maus), conforme podemos ver em 1 Coríntios 10:1-13, onde esta dito: “Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado. Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.”, e tambem em Rm 15:4 “Tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito”.

    Com isso, podemos concluir que Deus usa-se de exemplos reais para revelar-se para a humanidade, mostrando a todos o caminho do bem (e da salvaçao) e o caminho do mal (e da perdiçao).

    Isto posto, encerro minha participaçao neste forum de ideias, nao como se tivesse participado de uma disputa, mas com o bom desejo de acrescentar algo para a edificaçao da minha vida espiritual e de todos aqueles que escrevem e leem as materias deste blog.

    Que Deus nos abençoe e nos ilumine cada dia mais.

    ResponderExcluir
  38. Quando um suposto exegeta analisa um termo fora do seu contexto, o resultado disso é o que em teologia denomina-se EIXEGESE, ou seja... Interpretação estapafúrdia de um termo ao fazer VISTA GROSSA ao contexto.

    É regra na ciência hermenêutica que se observe a LEI DO CONTEXTO! é o que ocorreu no texto acima que o prezado andou copiando e colou acima. O texto copiado acima apenas examina um termo sem considerar a relevância do contexto, analisa uma palavra solta, sem contexto.


    VEJAMOS AS CITAÇÕES REMISSIVAS AO TEXTO BÍBLICO EM QUE NOSSA FÉ ESTÁ AMPARADA:

    1 – Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-la como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d’Ela diminuir. É, também, o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. (II Pedro, 1:21; II Timóteo, 3:16,17; Romanos, 1:16).

    Nosso primeiro ponto básico de fé e doutrina inicia-se com “nós cremos”, sendo que esta crença possui sua referência doutrinária amparada em II Pedro, 1:21; II Timóteo, 3:16-17; Romanos, 1:16. Portanto, nossa crença doutrinária não nega a inspiração de toda a Palavra de Deus, pelo contrário, reafirmamos, pois é esta base doutrinária (referência) que afirmamos em que cremos :

    II Pedro, 1:21: Nós cremos... “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo”.

    II Timóteo 3:16-17: Nós cremos... “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.”

    Romanos, 1:16: Nós cremos... “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego”.

    Portanto, caro debatedor, nossa fé não deixa margem a essa interpretação equivocada com que procura incutir. Sejamos sóbrios, cuidadosos quando estudamos uma palavra não pondo de lado o contexto em que ela está inserida. Quando o contexto não é observado, gera-se uma verdadeira oficina de ideias inócuas barulhentas que soam mais como tiros de festim... Barulho e vento, nada mais que isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim, quando observa-se a lei do contexto e as fontes remissivas das Escrituras que amparam a citação, desmorona-se todo essa acusação inócua que procurou e procura levantar. Nossa fé cita e apoia-se numa (entre outras) fonte remissiva que é II Timóteo 3:16 - 17. Concordamos e cremos no que está escrito, que "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.".

      Inócua, pueril, desonesta e estapafúrdia toda e qualquer acusação contrária que fazem contra nós!

      O "contendo" diz respeito ao INTEIRO CONTEÚDO da Bíblia Sagrada... É palavra de Deus!

      Excluir
  39. Curiosamente, quando lhe apertei sobre qual instituição religiosa serve a Deus, vai logo saindo pela tangente... Preferiu sair sem dizer (risos).

    Suponho que seja um Testemunha de Jeová.

    Apenas confira essa citação ensinada pelas Assembleias de Deus, cujo cabeçalho teológico diz "Diferença Entre Declaração da Bíblia e Registro de Declaração":

    "A Bíblia registra inclusive declarações de Satanás. Suas declarações não foram inspiradas por Deus, e sim o registro delas. Sansão mentiu mais de uma vez a Dalila; a Bíblia não é mentirosa por isso, apenas registra o fato (Jz 16). (Antônio Gilberto. BIBLIOLOGIA - Introdução ao Estudo da Bíblia - EETAD - Escola de Educação Teológica das Assembleias de Deus, Campinas, SP - Brasil).

    Como Testemunha de Jeová, você acredita que a Bíblia "CONTÉM" inspiração derivada? Se não, é isso mesmo que consta nos ensinos teológicos das Assembleias de Deus. Mas, assim como ocorre em nosso artigo de fé, não dou ao termo "contém" o sentido que procurou e procura dar sem observar a lei do contexto.

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  40. Aquele que conta uma historia qualquer è o autor dessa historia, atè mesmo dos diàlogos que essa historia apresenta, ainda que sejam contrarios àquilo que o autor acredita, nao importando se o autor escreveu com as suas proprias maos ou se ditou para que alguem escrevesse. O fato è que tudo que està registrado è palavra do autor e nao de terceiros, ou mesmo dos personagens da historia.

    No caso da Biblia nao è diferente, a qual, acreditamos, ter sido escrita por Deus. E se foi Deus quem a escreveu, a inspiraçao so pode ter sido do Seu proprio Espirito (que conhece as profundezas de Deus), e, se veio do Espirito de Deus, saiu da Sua boca, tratando-se, portanto, da infalivel Palavra de Deus.

    Nao importa se o diabo falou inspirado pela maldade de seu coraçao, o que importa è a inspiraçao de quem contou o que ele disse. Alias, o diabo està cheio de livros que foram por ele inspirados, mas o livro que Deus escreveu se chama Biblia Sagrada (um conjunto de Escritos Sagrados).

    Aquele que afirma acreditar que o inteiro conteudo da Biblia Sagrada foi inspirado por Deus, confessou, com seus proprios labios, que a Biblia è a Palavra de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem... Uma história "qualquer" creio que esteja falando de história secular, e não da história bíblica narrada nas Escrituras Sagradas. Nessa direção, usar a forma de escrita de um livro "qualquer" comparando-a com as Escrituras, é uma falta de respeito e temor para com a Palavra de Deus, pois a diferença é gritante!

      Sua falta de conhecimento é gritante, pois Deus NÃO ESCREVEU Bíblia alguma. A Bíblia Sagrada é um livro Divino - humano: Divino, porque foi inspirada por Deus; humana, porque foi escrito por homens santos de Deus. Destarte, a Bíblia foi escrita por homens, mas sob a inspiração do Espírito Santo.

      Quando o amigo não distingue entre registro da mensagem X mensagem do resgistro, está atribuindo MENTIRAS a Deus; contraditoriamente, o nosso Deus não mente... "É impossível que Deus minta", escreveu Paulo.

      A inspiração PLENÁRIA de TODA as Escrituras Sagradas diz respeito apenas ao REGISTRO que as Escrituras fazem, de Gênesis a Apocalipse... E isso é o que afirmamos em nosso artigo de fé 1, cremos na INTEIRA BÍBLIA, e não em parte apenas.

      Veja o que você afirmou:

      "Aquele que afirma acreditar que o inteiro conteudo da Biblia Sagrada foi inspirado por Deus, confessou, com seus proprios labios, que a Biblia è a Palavra de Deus."

      Ora, prezado Marcelo Victor...

      E porventura não é isso que afirmamos em nosso artigo 1? A palavra "CONTENDO" que você questiona é sinônimo de "CONTEÚDO"!!!

      Meu amigo, faça uso, por favor, de dicionários da língua portuguesa! Você questiona e ao mesmo tempo concorda conosco. Te indico um dicionário da língua portuguesa muito bom, de uso acadêmico: DICIONÁRIO SINÔNIMOS E ANTÔNIMOS HOUAIS

      Se examinasse os dicionários ou fizesse uso deles, não pecaria contra nossa língua pátria entrando numa flagrante contradição. Abraço.

      Excluir
  41. A Paz de Deus meus irmãos Romário, Marcelo Victor e demais...
    Não quero eu ressuscitar a discussão referente a este tópico, mas gostaria de compartilhar o que sinto e penso. Não sou tão experiente nas escrituras como vocês, mas segue abaixo minha observação:
    Afirmar categoricamente que a Bíblia Sagrada é a Palavra de Deus ao invés de dizer que a contém, está limitando (ou promovendo esta impressão) de que a Palavra de Deus, é apenas o conjunto de 66 livros que possuímos hoje. Sendo que as escrituras oferecem várias descrições do que é a Palavra de Deus:
    • A Palavra se fez carne: "No princípio era o Verbo (Palavra), e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." João 1:1
    • A Palavra é a verdade: "Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade." João 17:17
    • A Palavra é eterna: "Mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada." 1 Pedro 1:25
    • A Palavra é o que Deus diz na boca de seus profetas: "E a palavra do Senhor veio a Zacarias, dizendo:" Zacarias 7:8 - "E ponho as minhas palavras na tua boca, e te cubro com a sombra da minha mão;" Isaías 51:16 - "Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas." Amós 3:7
    • A Palavra está acima do nome de Deus: "Inclinar-me-ei para o teu santo templo, e louvarei o teu nome pela tua benignidade, e pela tua verdade; pois engrandeceste a tua palavra acima de todo o teu nome." Salmos 138:2
    • A Palavra que sai da boca de Deus é alimento para a vida: "Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus."Mateus 4:4
    • A Palavra opera por meio e/ou com o Espírito Santo: "Mas, quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós. Mateus 10:19,20 - "Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o Senhor: o meu espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se desviarão da tua boca nem da boca da tua descendência, nem da boca da descendência da tua descendência, diz o Senhor, desde agora e para todo o sempre." Isaías 59:21
    • A Palavra é pura: "As palavras do SENHOR são palavras puras, como prata refinada em fornalha de barro, purificada sete vezes." Salmo 12:6
    • A Palavra está "contida" nas Escrituras Sagradas: "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra." 2 Timóteo 3:16-17
    (Continua...)

    ResponderExcluir
  42. Ao meu simples entender, com tantas atribuições divinas à Palavra de Deus, não é correto dizer categoricamente que a Bíblia Sagrada é a Palavra de Deus, mas sim que a contêm, pois nesta simples afirmativa de dizer que "é" reduzimos a Palavra de Deus às escrituras sagradas e teríamos que dar os seguintes adjetivos a Bíblia: A Bíblia é eterna; A Bíblia está acima do Nome de Deus; A Bíblia é pura; etc. Sendo que a Bíblia ela é apenas uma parte da Palavra e não propriamente a Palavra, assim como um braço é a parte de um corpo e não propriamente o corpo. Mas vale dizer e ressaltar com letras maiúsculas que DEVEMOS ACEITAR E CONCORDAR QUE TODA A BÍBLIA É INSPIRADA E DELA NÃO SE DEVE TIRAR E NEM ACRESCENTAR NADA, muito menos ser juízes dela, pois por meio dela seremos julgados, uns para salvação e outros para condenação. Cada linha dela contém segredos que só entenderemos no futuramente. E a Bíblia chegou em nossas mãos exatamente como Deus queria, pois não cai um fio de nossos cabelos se não for da vontade Dele.

    Antes de concluir meu pensamento, cito uma parábola bem esdrúxula, mas de fácil compreensão: Um garoto diz: "Eu amo Coca-Cola". O que ele ama? O refrigerante por nome Coca-Cola ou a empresa Coca-Cola? Sabemos que ele se refere ao refrigerante, mas o conceito do nome do refresco é tão mais forte do que o nome da empresa, sendo que isto deveria ser ao contrário, pois o refresco é apenas um dos diversos refrigerantes produzidos empresa o que muitas vezes delimita a percepção das pessoas da grandiosidade estrutural da expressão Coca-Cola.

    Concluindo, a Palavra de Deus é muito MAIOR do que as escrituras sagradas, e o seu valor transcende a nossa simples, insignificante, limitada e vil compreensão.

    Deus abençoe a todos que comentaram neste Blog, pois aprendi muito aqui com vocês! Perdoem meus erros de português e minha exegese, pois é a primeira vez que escrevo algo que interpreto da bíblia. Estava a 18 anos só absorvendo do Pai.

    Graça e Paz do nosso Senhor Jesus Cristo!

    Welington Bordeli
    PS.: Orei antes de escrevê-los para buscar a guia do Espírito Santo. E se Ele me inspirou, isto se torna uma parcela minúscula das diversas manifestações da Palavra!
    E Romário, seu artigo está muito bom e muito claro em tudo isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amado,
      Como disse anteriormente, o autor de um livro, seja ele qual for, é o autor de TUDO que nele està escrito, mesmos dos diàlogos dos personagens, citados no livro.
      A Biblia é o livro escrito por Deus, de sorte que exatamente TUDO que ali està escrito é PALAVRA DE DEUS, incluindo os diàlogos dos personagens por Ele citados em Seu livro (tambem chamado de Escrituras Sagradas).
      Assim sendo, por fé, nòs cremos que tudo que està registrado nas Escrituras Sagradas aconteceu exatamente como foi escrito por Deus e que os personagens, por Ele citados, falaram exatamente o que Deus disse que eles disseram (em Seu livro).
      O que passar disso, amado Wellington, é elucubraçao minha e de quem quer que seja.
      Deus te abençoe!!!

      Excluir